Cinema brasileiro nos últimos 20 anos: 2018 para o futuro (Parte 11)

É difícil pensar no futuro, ainda mais quando o presente se mostra ainda mais vasto do que parece. Por isso, a dificuldade em se pensar o futuro do cinema brasileiro é gigantesca, já que o atual momento parecer se mostrar um ápice, mas que – em uma futura visão – poderá significar a queda ou até um recomeço.

Com base nisso, diversas especulações são trabalhadas dentro da produção nacional, mas ainda é extremamente complexo gerar certezas, porém alguns pontos podem ser mais efetivados do que outros.

Dentre esses está o cinema de gênero ganhando cada vez mais espaço, principalmente no lado mais alternativo. Se anteriormente o terror e o suspense se mostravam escassos, agora eles são uma parte muito forte da cultura nacional. Obras como As Boas Maneiras, Aos Teus Olhos, O Animal Cordial, entre outras, reforçam ainda mais isso não apenas para o mercado interno, mas também externo. Isso faz com que festivais comecem a observar esse fatos e algumas novas mostras sujam, como foi o caso do Rock Horror in Rio Film Festival, que trazia apenas esses tipos de longa para amostragem.

Entretanto não é apenas esses gêneros que ganham destaque, já que as comédias começam a trazer o DNA próprio de seus realizadores, algo que pouco se era presente. Além disso, a ficção-científica também entra em um destaque a parte, já que, mesmo sendo pouco feita, gera um nicho próprio e que tem atraído uma grande quantidade de público para longas nesse estilo.

Apesar disso falado aqui, a grande importância desse especial era um maior entendimento para o público leitor sobre as produções audiovisuais nacionais que por muito tempo sofreram, e ainda algumas sofrem, de um preconceito baseado na questão de um menor nível de qualidade. É importante sempre ressaltar o fato do baixo orçamento e da necessidade do investimento governamental serem determinantes para a realização desses filmes, algo que não é fácil de se conseguir.

O cinema brasileiro caminha em passos importantes para crescer ainda mais, tendo tido diversos reconhecimentos todo ano em festivais pelo mundo a fora. Apesar de não ter conseguido abordar todas as obras que foram relevantes durante esses 20 anos, a grande pergunta que fica é: por que você ainda não viu um filme nacional hoje?

Comentários

Cláudio Gabriel

É apaixonado por cinema, séries, música, quadrinhos e qualquer elemento da cultura pop que o faça feliz. Seu maior sonho é ver o Senta Aí sendo reconhecido... e acha que isso está mais próximo do que se espera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *