Principal Festival de Documentário da América do Sul: Tudo Sobre a Edição de 2018

O principal festival de documentários do Brasil, fundado e produzido pelo crítico Amir Labaki, está completando 50 anos. Em sua 23ª edição será apresentado 56 filmes, entre longas e curtas. O “É Tudo Verdade” se inicia nessa quinta-feira (12) em São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ) com sessões gratuitas, que irão até o dia 22 de abril. A programação completa você confere aqui.

Nesse ano o evento homenageará Pamela Yates, uma importante documentarista americana e ativista. Ela aborda em suas obras o racismo, o genocídio e outros temas sobre os direitos humanos nos EUA e na América Latina. Indicada ao Emmy e ao Sundance Film Festival, Yates concluiu no ano passado sua histórica “Trilogia Guatemalteca”, que foi realizada em um período de 35 anos: “Quando as Montanhas Tremem” (1983), “Granito” (2011) e “500 Anos” (2017).  O festival apresentará a trilogia na íntegra na presença da diretora que virá ao Brasil e participará de encontros com o público nas duas cidades. Na capital carioca, isso acontecerá no dia 14/04, às 18h, no Instituto Moreira Salles; em São Paulo será no dia 18/04, às 15h, no Sesc 24 de Maio.

Além de Pamela, o festival também homenageará cinco diretoras brasileiras que participaram de edições interiores (Marília Rocha, Helena Solberg, Tatiana Toffoli, Maria Ribeiro e Andrea Pasquini) e são protagonistas do braço online da mostra. Cinco títulos, um de cada cineasta, serão disponibilizados no site do Itaú Cultural de 17 a 22 de abril: “Aboio” (2004); “Carmem Miranda, Banana Is My Business” (2014); “Dona Helena” (2006); “Domingos” (2008); e “Os Melhores Anos de Nossas Vidas” (2003).

O Senta Aí destacou alguns documentários para você ficar de olho. Lembrando que para consultar locais, dias e horários de exibição é só acessar o site do É Tudo Verdade.

 

 ”Auto de Resistência” [Brasil, 2018]

A produção dirigida por Natasha Neri e Lula Carvalho traça um panorama contemporâneo de homicídios -154 em janeiro deste ano- praticados pela polícia contra civis, no Rio de Janeiro, em situações inicialmente classificadas como legítima defesa. As vítimas de assassinato são acusadas de serem traficantes e de terem trocado tiros com os policiais. No entanto, a versão da PM é posta em xeque pelo surgimento de vídeos e pela luta de mães que tentam provar a inocência de seus filhos.

 

 

 

 

“Naila e o Levante” [Naila and the Uprising, EUA/Palestina, 2017]

O filme mostra uma história que a grande mídia deixou escapar: Em 1987 ocorreu um movimento não violento de mulheres encabeçando a luta palestina pela liberdade. Quando explode um levante nacional nos Territórios Palestinos Ocupados, Naila Ayesh tem que escolher entre amor, família e liberdade. Impávida, ela decide lutar pelos três, participando clandestinamente de uma rede de mulheres em um movimento que força o mundo a reconhecer o direito dos palestinos à autodeterminação pela primeira vez. O documentário é dirigido por Julia Bacha.

 

 

 

 

”A Flor da Vida” [La Flor de la Vida, Uruguai, 2017]

Quanto tempo dura o amor dentro de um casamento? Aldo e Gabriella estão casados há cinquenta anos, os dois se apaixonaram na juventude e decidiram dividir suas vidas, eles formaram uma família e agora se preparam para viver a velhice juntos.  Mas algo não vai bem. Aqueles jovens que se apaixonaram nos anos 50 e juraram amor eterno, de repente percebem-se distantes. Suas personalidades, seus interesses e seus modos de ver o mundo já não são mais os mesmos. Ao chegarem aos 80 anos, começam a se perguntar porque continuar juntos. Um conto de fadas ao avesso, uma história universal sobre o amor. E também sobre o fim do amor. Direção: Adriana Loeff e Claudia Abend

 

 

 

 

 

“O Processo” [Brasil, 2018]

Em cerca de 450 horas de material filmado e meses de trabalho, Maria Augusta Ramos acompanhou todo o processo que culminou no impeachment da presidente Dilma Rousseff. Com acesso único a ela e sua defesa, filmou horas e horas de reuniões e discussões a portas fechadas com a presença do advogado José Eduardo Cardozo, sua equipe, e os senadores e assessores da Liderança do PT e da minoria no Senado. Circulando por corredores do Congresso Nacional, testemunhou bastidores nunca mostrados em noticiários de cadeia nacional.

 

 

 

”Ex-Pajé” [Brasil, 2018]

Um poderoso pajé do povo Paiter Suru passa a questionar sua fé depois de seu primeiro contato com brancos que julgam sua religião como demoníaca. Ele é constrangido a se tornar um porteiro da igreja Evangélica, renunciando aos seus poderes de pajé. No entanto, a missão evangelizadora comandada por um pastor intolerante é posta em cheque quando a morte passa a rondar a aldeia e a sensibilidade do índio em relação aos espíritos da floresta mostra-se indispensável. O longa é dirigido por Luiz Bolognesi.

 

Comentários

Ana Barbosa

Estudante de Jornalismo, feminista e enaltecedora de mulheres na arte. Viciada em séries, principalmente em Doctor Who, compra mais livros do que consegue ler e não recusa um café. A típica canceriana que chora em todos os filmes que assiste, ou pelo menos quase todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *