RESENHA: Twice – Twicetagram

O grupo feminino que está fazendo a cabeça da galera no K-pop está de volta, com o lançamento de seu primeiro álbum – dessa vez de fato, já que só tinham sido lançados mini-álbuns, até o momento. Após “Signal” o grupo parece ter compreendido seus erros nos trabalhos anteriores e aposta tudo no inverso do que fazia. Vamos ver o que, dessa vez, essas meninas fizeram.


Lista de músicas:

1 – LIKEY

2 – TURTLE

3 – MISSING U

4 – WOW

5 – FFW

6 – DING DONG

7 – 24/7

8 – LOOK AT ME

9 – ROLLIN

10 – LOVE LINE

11 – DON’T GIVE UP!

12 – YOU IN MY HEART

13 – GOOD NIGHT

Melhores músicas: TURTLE, DING DONG, ROLLIN, YOU IN MY HEART e GOOD NIGHT.


1 – LIKEY

A canção single é um elemento, desde seu princípio, muito bem escolhido pelo grupo. JYP conseguiu fazer dessa ferramenta algo muito promissor. A canção traz uma celebração pela vida de maneira jovial e de forma informal, até. Misturando tecnologia e o termo like, do aplicativo Instagram, para sua canção. Tanto que o nome da conta do grupo é o mesmo desse álbum.

Aqui vemos bons momentos nas vozes de Momo, o que é raro em uma single, e o destaque para Dahyun e Chaenyeong em seu rap. Primeiro vislumbre que o grupo quer inovar pondo suas rappers para trabalhar na faixa principal. Outra – que já havia começado a crescer desde do segundo mini-album – é Sana; essa amada por todos os fãs do grupo, deu um salto e tanto, aparecendo no meio da canção “Knock Knock” e não foi diferente aqui. Ela assumiu o posto de destaque até na letra. Esse single faz jus a sua época, como era de se esperar. Twice não perde a compostura e a sua evolução nos singles tem sido dignas.

2 – TURTLE

Talvez a melhor canção de todo o álbum. Aqui o grupo mostra a que veio, o tom dessa música molda todo o trabalho. Focado na delicadeza, que as vozes introspectivas das meninas sempre demonstravam capazes, isso prova esse talento.

“Turtle” tem uma vibe verão muito forte e delicada, com destaque para Sana, que novamente sobe ao palco e deixa os versos ainda mais saborosos com seus momentos. Nayeon assume a liderança, pondo pra fora seu talento de costume. Mas, o mais importante aqui, é como a música dá espaço para todas e não se perde em nenhum momento.

3 – MISSING U

Aqui a vibe verão permanece, só que vem de uma forma mais pop, com bons momentos de alternância no rap entre Chaenyeong e Naeyon e, posteriormente, Dahyun com Mina. Esse foi o momento de Jeongyeon brilhar, com seu agudo ela foi capaz de levar a faixa ao patamar mais de batida e se diferenciar da canção anterior. Como eu disse no início, JYP finalmente está sabendo aproveitar suas rappers em Twice e membros que antes não tinham tanto destaque – tais como Jeongyeon – agora estão tendo o espaço que merecem.

4 – WOW

Não nego que tem uma pegada fofa muito boa, uma ideia pertinente de utilização do R&B. Não tem como dizer que a parte do “oh my god” não é viciante e fica preso na mente. Mesmo assim, a canção se perde em algumas partes, tais como nas de Mina e Momo. Fica um pequeno vazio durante um momento e outro e o instrumental desaparece. Sei que não chega a ser altamente reparável, mas a canção não precisava desse detalhe. A ideia para “WOW”, deve ter vindo de canções como: “Tuk-Tok”/”Ready to Talk” do 2º Mini Album. Não chega a ser ruim, mas é sim esquecível.

5 – FFW

“FFW” definitivamente é uma daquelas músicas estilo “Next Page”, onde tenta ser tudo de uma vez e acaba se tornando genérica demais. Apesar de ter bons momentos, esses são desperdiçados pela repetição no estilo e a letra superficial. Nayeon é a única que consegue se destacar, pois sua parte faz tudo se tornar vivo por alguns segundos. Com isso ela ganha o título de mais fraca de todo álbum.

6 – DING DONG

Começo a crer que o grupo se inspirou muito em seu segundo mini-album, já que “Ding Dong” lembra bastante “Woohoo”, além de “Do it Again”, do primeiro trabalho. Porém com uma pegada mais alegre, a faixa é uma eterna brincadeira e ao mesmo tempo, uma celebração. As líderes Jihyo e Nayeon comandam, no fim das contas. Essa faixa é totalmente alto astral e capaz de animar o dia de qualquer Kpoper.

7 – 24/7

Diferentemente de tudo que vimos até agora, em “24/7” vemos uma Twice mais madura, com a cara da modernidade. Com raps divertidos e bem colocados, Mina e Jeongyeon cuidam bem das meninas. Além disso, o refrão é uma surpresa agradável e a batida no final traz uma paz a canção que fala de “24/7” e como aproveitar melhor seu dia. Uma ótima música e de quebra com uma letra de arrasar.

8 – LOOK AT ME

Ok, Twice sempre foi pra cima e alto astral, disso ninguém pode discordar. E “Look at Me” tinha tudo para ser mais um dessas canções e, ainda por cima, genérica, mas algo nela a faz única, com uma batida ótima e uma vibe pra cima – ainda maior que o normal. Não chega a ser uma música ruim, mas para quem quer um estilo diferente, não vai encontrar nessa. Para muitos pode ser só mais uma aqui.

9 – ROLLIN

Como já disse, JYP começou a valorizar as rappers ness grupo. Aqui temos aquela faixa hip-hop adorável. É um ótimo hip-hop? Não, mas é adorável e bem estilo do Twice. Além disso, impera um estilo funky, que traz um ar de inovação nos trabalhos das meninas. Esse é um dos ritmos que mais se encaixam com a essência da banda. Por mais canções como “Rollin”!

10 – LOVE LINE

Em “Love Line” temos um ritmo mais lento e com apelo para o vocal, o que faz com Jeongyeon e Mina se sobresaiam muito bem. Talvez uma das músicas que entra para o tema romântico desse álbum. A canção lembra o estilo de “GFriend”, envolvendo temas sobre o amor jovem.

11 – DON’T GIVE UP!

Mais um das faixas com uma boa ideia, mas mal executada. A canção tem umas quebras de ritmos que incomodam e a fazem destoar completamente. A batida é boa, mas não a faz ser boa o bastante. Aqui, o rap não faz muito sentido e torna a música fora de sintonia, passando um ar que não consegue se encontrar. Mesmo erro cometido em canções como “FFW” e “Next Page”, tentam fazer um mix de vários estilos e acaba que no fim a canção fica vazia. Uma pena.

12 – YOU IN MY HEART

Aqui vemos que quando Twice quer, o Twice consegue uma harmonia perfeita e as meninas se encontram. Em ritmo, refrão e sintonia nas partes. Sana mostrou a que veio nesse álbum. Especialmente aqui, ela mostra todo seu talento batendo de frente com a voz de Nayeon, quase em um dueto as duas. Por fim, é impossível não destacar a maneira como a batida vai crescendo e contagiando quem a ouve.

13 – GOOD NIGHT

Twice, sem sombra de dúvidas, sabe como terminar seus álbuns. Todas suas últimas faixas de mini-álbuns anteriores são perfeitas e “Good Night” não é diferente. Uma verdadeira canção de ninar, como a própria sugere. Possui um violão que – em pequenos e sutis momentos – lembra um samba raiz. A melodia começa simples e nos oferece tudo de bom nas vozes das meninas. Um excelente fechamento.

Comentários

Raphael De Souza

Graduado em Jornalismo pela FACHA. Lançou durante seu período de faculdade o livro “Costuras Poéticas de uma Vida Reaproveitada”. Chegou palestrar sobre a cultura asiática e seus desdobramentos, na área de Mídia da UFF – Faculdade Federal Fluminense e eventos do cunho oriental. Hoje trabalha como empresário, jornalista e nas horas vagas piloto de automobilismo. E ainda consegue arranjar espaço na sua agenda para séries, animes e tokusatsu e filmes. Defende o crescimento do gênero Tokusatsu no Brasil como forma de cultura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *