REVIEW: Super Junior – PLAY

Um dos grupos k-pop mais conhecidos do meio, por fazer parte da segunda geração do gênero, sendo um dos divisores de águas para cultura musical coreana. Após um longo hiato de dois anos, desde quando lançaram seu álbum comemorativo de 10 anos, não se via trabalhos deles, devido a parte dos membros terem sido convocados para o exército. Com isso o grupo – composto por 13 membros – promove aqui apenas com 7 deles, mas não se engane, eles não caíram de qualidade pela falta de seus companheiros. Muito pelo contrário. Eles se esforçaram ainda mais para compensar a falta deles. E o resultado você confere abaixo.

OBS: Um ponto que vale ressaltar, antes de mais nada, está no fato do grupo não perder suas origens, com seu pop de qualidade envolvendo ritmo funky e retropop. Para alegria dos fãs, Super Junior liberou suas singles de seu novo álbum – “PLAY”; “One More Chance” e “Black Suit”.


Lista de músicas:

1 – Black Suit

2 – Scene Stealer

3 – One More Chance

4 – Good Day for a Good Day

5 – Runaway

6 – The Lucky Ones

7 – Girlfriend

8 – Spin Up!

9 – Too Late

10 – I Do

Melhores músicas: Black Suit, Scene Stealer, Runaway, The Lucky Ones, Spin Up! e Too Late.

1 – Black Suit

Sabe sobre “o não perder a identidade” que me referi, pois então a single vem forte com um piano através do electro swing, algo característico do grupo. É como dizem, eles podem estar “velhos”, mas ainda dão trabalho. Os vocais pulam e dançam sob a batida dinâmica do refrão que, assim que se inicia, você sabe que está ouvindo algo do Super Junior. Canção essa que te faz dançar sem nenhum problema, além de contagiar aquele dia que se sente pra baixo.

2 – Scene Stealer

Em “Scene Stealer” é o momento em que se para e pensa: Isso é muito Oldschool!! Sem dúvidas, a obra combina elementos do auge da carreira dos meninos com uma batida moderna. É sempre bom lembrar como a SMTOWN é capaz de trazer excelentes canções e álbuns. Com o estimado grupo deles, não seria diferente. Com a falta da totalidade dos membros, a empresa deu ainda mais suporte a eles para esse comeback. Ainda sobre a canção, percebe-se uma vibe Bruno Mars que lembra “24K Magic”, em particular. No fim das contas a música é simples, apenas com mixagem e as vozes eles criaram uma atmosfera clássica.

3 – One More Chance

Com essa single a banda traz memórias de canções como: “No Other” e “Blue Tomorrow”.  Repleta por um tom mais lento, romântico e com uma carga emocional poderosa em sua letra. Sem mencionar em como Super Junior consegue por vida em sua voz e passar a sensação que eles realmente querem através da música. Quem ouve sabe dizer se é tristeza, gratidão, solidão, amor, etc. Na canção em questão é pedido mais uma chance, para não desistir deles ainda. Só um porém, foi a maneira como ordenaram essa música mais lenta após duas canções super dançantes, fazendo uma transação dramática que não dá muito certo.

4 – Good Day for a Good Day

Quem aí curte o ritmo fucky? E numa guitarra então! Sim, o grupo foi capaz de criar algo distinto nesse ritmo com uma melodia que se assemelha ao EXO-CBX’s – “Hey Mama”. Apesar da atmosfera bem legal e adição do rap em certas partes, acaba sendo uma canção repetitiva.

5 – Runaway

De primeira já é possível se apaixonar por “Runaway”, pelo tanto de energia que a música traz. É puro som, com múltiplos instrumentos: guitarra, percussão, piano, violão, saxofone, trompete etc. É possível visualizar o grupo fazendo um ao vivo dessa música perfeitamente. O fator de cantar com a multidão é totalmente presente aqui. Apesar de parecer repetitiva, a canção se cria ao longo de cada verso e – pela maneira como foi produzida – consegue alçar vôos maiores.

6 – The Lucky Ones

Harmonia é tudo e aqui o grupo cria em uma presença memorável, sem mudar o ritmo. Apenas no refrão, quando muda para o clímax, a música desperta mais interesse, pois o romantismo na voz dos meninos fala mais alto. Seria uma perfeita canção para um Dorama.

7 – Girlfriend

Belo toque na intro, uma batida tocante e lenta de um teclado chama a atenção. Entretanto, “Girlfriend” não traz o melhor do vocal do grupo e a falta de mudança no tempo aqui foi um revés. O rap com teclado funciona, era esperado que tivesse, mas não foi necessário e não trouxe adição. Talvez a mais fraca do álbum, até agora. O que não quer dizer que seja uma música ruim, pois ainda diverte, mas não traz o melhor do grupo.

8 – Spin Up!

Aqui vemos um novo Super Junior, numa tentativa de inovar, apelando para iniciar com rap foi ousado, mas muito bem executado com o contrabaixo e a guitarra. Um som funky limpo ótimo para os ouvidos é o que essa música traz de melhor. O coro funcionou muito bem com trompete juntamente a bateria. Essa é daquelas que faz jus ao replay.

9 – Too Late

Super Junior é dos poucos grupos que consegue manter a harmonia entre as canções e não perder a linha. “Too Late” é um exemplo perfeito disso. Onde você percebe cada membro com seu espaço muito bem dividido, seguindo na música como uma só voz. Algo muito gostoso de se ouvir e raro de se encontrar em canções hoje em dia. Há tantas coisas acontecendo durante a canção que devido a harmonia perfeita você consegue fazer uma pausa para escolher a parte que quiser. Certamente uma das melhores de todo álbum.

10 – I Do

Mais um exemplo de má organização no álbum “I Do” não deveria encerrar o álbum, seus pontos altos são o início e o final que trazem fortes instrumentos e ritmo, mas a frase da canção acaba sendo muito repetitiva e não traz a carga emocional que se deseja. Talvez “Too Late” merecesse encerrar o álbum mais do que “I Do”.

Comentários

Raphael De Souza

Graduado em Jornalismo pela FACHA. Lançou durante seu período de faculdade o livro “Costuras Poéticas de uma Vida Reaproveitada”. Chegou palestrar sobre a cultura asiática e seus desdobramentos, na área de Mídia da UFF – Faculdade Federal Fluminense e eventos do cunho oriental. Hoje trabalha como empresário, jornalista e nas horas vagas piloto de automobilismo. E ainda consegue arranjar espaço na sua agenda para séries, animes e tokusatsu e filmes. Defende o crescimento do gênero Tokusatsu no Brasil como forma de cultura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *