Alicia Keys fala sobre política e amor, fazendo o melhor show da primeira semana do Rock in Rio

Os três primeiros dias do Palco Mundo no Rock in Rio 2017 foram marcados por problemas e apresentações muito esquecíveis, tudo começando com o marcante cancelamento de Lady Gaga no início do festival, o que fez os ânimos desanimarem. Sendo assim, o primeiro domingo – que teria fechamento de Justin Timberlake – acabou vendo o palco sendo tomado pela cantora Alicia Keys, que realizou não só o grande show da noite, mas também a melhor apresentação até aqui.

A artista já entrou no palco com a difícil missão de tentar animar o público, devido ao seu estilo mais lento, algo diferente das três outras performances da noite. O início, com o single “28 thousand days” e a antiga “You don’t know my name”, serviu para deixar o público bem animado logo de cara, além de fazer a alegria dos fãs. Toda a parte de abertura do show mostrou bastante o poderio de voz de Keys, mas acabou sendo marcado por poucos momentos de interação com a platéia e um foco maior em alguns swings diferenciados de guitarras e de baixo, todos chamados pela mesma.

Foto de Marco Antonio Teixeira/UOL

O maior momento de transição na apresentação veio com “Superwoman”, canção na qual ela dedicou a todas as mulheres presentes, falando sobre como é ser mulher em um mundo extremamente machista e complicado. Em seguida, Alicia embalou diversos momentos inesquecíveis, começando com o cover belíssimo de “How come you don’t call me” – clássica faixa de Prince – seguido por “Kill your mama”, onde ela chamou Pretinho da Serrinha para acompanhá-la, além da líder indígena Sônia Guajajara para falar sobre a situação da natureza e do Planeta Terra, algo que levantou os ânimos dos presentes.

Após o momento político, a cantora embalou seus grandes sucessos antigos, além de uma do atual álbum. “If I ain’t got you”, “Fallin'”, “In Common” – essa que teve participação do Dream Team do Passinho -, “Girl on fire”, “No one” e “Empire State of Mind, Part II: Broken Down” levaram o público ao delírio, esse que cantou cada verso de quase todas, além de realizar um grande espetáculo final com as luzes dos celulares levantadas.

Foto de Fábio Tito/G1

Em uma noite recheada de grandes nomes do R&B (como Neil Rodgers e Justin Timberlake), Alicia Keys mostrou o porque ainda encanta o mundo e é chamada para ser healiner de um dos maiores eventos de música do mundo: porque ela nunca perdeu a sua genialidade.

 

Foto de capa de  Fábio Tito/G1.

Comentários

Cláudio Gabriel

É apaixonado por cinema, séries, música, quadrinhos e qualquer elemento da cultura pop que o faça feliz. Seu maior sonho é ver o Senta Aí sendo reconhecido… e acha que isso está mais próximo do que se espera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *