Loucura, animação e drama são o foco de Undone

Alma (Rosa Salazar) está entediada com sua vida. O mesmo sexo com o marido, a mesma indecisão ao compra feijão, o mesmo trabalho. Ela parece sentir viver nesse eterno ciclo do cotidiano. Quando um acidente de carro acontece, tudo começa a se modificar. Ao ver seu pai Jacob (Bob Odenkirk), na qual já está morto, ela começa a tentar entender como aconteceu isso e observar a vida de um ponto de vista melhor. O problema é que tudo na sua frente está em uma mescla de realidade e mentira.

Assim começa a história de Undone, nova série da Amazon Prime. Esse universo psicodélico faz parte fomentadora da trama, em que aborda um lado dramático também muito forte. Além dos dois atores citados anteriormente, o elenco ainda conta com grandes nomes, como Daveed Diggs, Constance Marie, Jeanne Tripplehorn e mais. Outro diferencial da obra está no seu lado estético. Isso porque esses nomes falados não estão ali em carne e osso, mas em formato de animação em rotoscopia, técnica famosa dentro do filme Waking Life, de 2001, dirigido por Richard Linklater.

Dentre os criadores também estão personalidades famosas da indústria. Eles são Kate PurdyRaphael Bob-Waksberg, a primeira produtora e o segundo roteirista e criador da série da Netflix Bojack Horseman. A direção dos oito episódios compostos nessa primeira temporada – em uma média de 20 minutos cada um – é toda realizada por Hisko Hulsing, na qual já possui um trabalho com animações nesse sentido. Ele participou, por exemplo, das partes de animação do documentário Cobain: Montage of Heck, de 2015.

“Como jogamos com conceitos diferentes de realidade, queríamos que todos fossem sentidos como uma peça só, como algo natural, real e sem costuras”, conta Purdy em entrevista para a Folha.

Segundo ela, a inspiração para o seriado veio após a realização de um episódio de Bojack, na qual o personagem título entra em uma viagem alucinógena após o uso de drogas. Além disso, o histórico de saúde de sua avó também afetou, pelo fato dessa possuir esquizofrenia e ter sofrido um surto. As soluções para a problemática acabaram vindo da medicina na China, em culturas tribas indígenas e na auyveda.

“Nessas outras culturas, pessoas que escutam vozes ou têm visões são xamãs ou videntes”, continua Kate em entrevista para a Folha. “Existe uma noção de um universo maior em jogo no qual podemos acessar nossos antepassados ou guias para nos ajudar em nossa jornada”.

Undone, definitivamente, pode ser vista de uma vez só. Apesar disso, é bem possível que você sofra um pouco, pelo fato do lado dramático também estar bastante presente. Aliás, a comparação perante a um trabalho de Linklater não está apenas no formato, porém também em toda a temática e o trabalho com a mesma. O seriado gosta de brincar com elementos reais ou não, para poder trazer, assim, toda uma carga complexa dentro disso. Ao mesmo tempo que a diversão parece estar atrelada pelo fator diferente, também estamos em um universo altamente psicodélico.

Comentários

Cláudio Gabriel

É apaixonado por cinema, séries, música, quadrinhos e qualquer elemento da cultura pop que o faça feliz. Seu maior sonho é ver o Senta Aí sendo reconhecido... e acha que isso está mais próximo do que se espera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *