Esquadrão Suicida, Space Jam, Mulher-Maravilha 1984: Tudo sobre o painel da Warner na CCXP Worlds

Expectativa. Era o que muitos fãs tinham para o painel da Warner Media, que fechou a CCXP 2020. No entanto, muitos podem ter até se sentindo empolgados antes, mas uma certa frustração acabou sendo a toada de grande parte das seis horas do evento.

Iniciando pelo mais importante e esperado pelo público – que realmente só apareceu nos 40 minutos finais – as novidades da DC no cinema até que foram relativamente interessantes. Quem mais apresentou isso foi Esquadrão Suicida, longa de James Gunn que vai gerar uma continuidade para o universo do filme de 2016. A apresentação começou com o próprio diretor e a atriz brasileira Alice Braga, que foram chamando os outros astros do filme aos poucos. O cineasta contou que ficou tão relacionado a produção que ele mesmo criou toda a ideia e designs do universo.

“Geralmente eu faço os storyboards para que as pessoas entendam, mas dessa vez fiz tudo de uma vez para eu mesmo entender”, diz Gunn rindo.

Os outros dois destaques foram The Flash e Mulher-Maravilha 1984. Na realidade, destaques no sentido de estarem realmente presentes pela importância aos longas da DC, já que pouco foi visto de novo por ali. Em relação ao primeiro, nada mesmo. Houve apenas uma mensagem do diretor aos fãs brasileiros. Já sobre o segundo, ocorreu uma maior interação com a conversa do elenco inteiro – e um destaque especial para Pedro Pascal, que está em voga por The Mandalorian. Além disso, também foi divulgado um novo vídeo do filme, que estreia em 25 de dezembro.

Ainda no mundo da adaptação da editora, é importante dar um destaque rápido para a relevância que foi dada no painel para as séries da CW e Pennyworth, exibida pelo Starzplay. Essa última, inclusive, foi a que mais trouxe coisas novas, na conversa com o elenco e produtores.

“Nessa segunda temporada é aquele em que o personagem está mais amadurecido. Ele tem essa liberdade, que é algo da América, mas ainda a vida presa em Londres”, contou um dos executivos. Ele ainda disse que Martha Wayne ficará gravida nesse novo ano, que estreia no dia 13 de dezembro.

Sobre The Flash e Batwoman foram mostrados um dia de gravação no set. Mostramos abaixo parte da segunda série.

Além disso, é preciso citar a interessante demonstração sobre a nova animação da editora, Batman: Soul of the Dragon. Em uma conversa que teve participação até de Bruce Timm, foi comentado um pouco sobre as referências para o filme, que estará disponível já em janeiro para ser comprado ou alugado. O mais interessante foi a influência de longas de kung fu e o blaxploitation.

Partindo para o mundo fora da DC, o mais interessante ficou realmente por conta das animações. A mais especial delas – que gerou comoção nas redes sociais – foi Primal, de Genndy Tartakovsky. Foi exibido o primeiro episódio da primeira temporada da animação do Adult Swin (braço de animações adultas do Cartoon Network). Nesse momento, ainda foi exibido um vídeo especial de bastidores da dublagem, trilha sonora e mais.

Além dela, outras animações do selo do Cartoon também tiveram destaque, como Lazor Wulf e, obviamente, Rick and Morty. Apesar disso, houve muito mais falatório do que algo diretamente interessante. O mesmo ocorreu durante mais de uma hora para abordar sobre Irmão do Jorel e O Mundo de Greg. Houve uma espécie de falta de foco nesse início, que acabou apressando as coisas mais relevantes para o público ao fim. Apesar disso, foi até interesante como, em Jorel, se mostrou um pouco de toda a produção.

Os filmes de animação também tiveram uma pequena participação ao abrir o painel. O maior foi Space Jam: Um Novo Legado, que teve divulgação de como será o uniforme no longa, da logo e um pouco dos primeiros detalhes de animação. Foi também comentado rapidamente sobre Tom e Jerry, com a recapitulação do trailer já lançado há algumas semanas.

Uma das coisas para qual os fãs mais estavam ansiosos eram as séries da HBO. Apesar de paineis até interessantes, pouco de realmente adicional houve falando sobre His Dark Materials e Euphoria.

Para completar com um destaque positivo, é preciso falar sobre os dois filmes brasileiros da Warner comentados durante a apresentação. O primeiro foi Hermanoteu: O Filme, que adapta para os cinemas a famosa peça Hermanoteu na Terra de Godah. Atores conversaram sobre a adaptação, além de comentarem do uso de efeitos especiais – algo até bem curioso. Por fim, foi divulgada uma cena inédita para o painel, reproduzindo um dos clássicos momentos da peça.

O outro filme é Os Aventureiros, que adapta uma série de vídeos do famoso youtuber Luccas Neto. Pouco se falou sobre a obra, que deve ser inteiramente voltada para o público infantil. Mas foi curioso o destaque dado dentro da CCXP, e ainda trazendo situações e coisas novas.

Complicado falar sobre um painel que tentou ser megalomaníaco, mas faltou especialmente conteúdo. Sobre isso que pode ser abordado principalmente do apresentado pela Warner na CCXP Worlds. Em uma tentativa de dominar mais o evento – especialmente pela falta de atrações que pudessem trazer algo diferente – faltou tato para realmente ser único dentro do evento.

Comentários

Cláudio Gabriel

É apaixonado por cinema, séries, música, quadrinhos e qualquer elemento da cultura pop que o faça feliz. Seu maior sonho é ver o Senta Aí sendo reconhecido... e acha que isso está mais próximo do que se espera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *