Guardavento e a eterna busca do “eu”

A banda brasiliense Guardavento lança seu primeiro álbum Apesar de Tudo que traz sonoridades Pop Internacional, MPB e World Music. Essa mistura traz um elemento fundamental para buscar um elemento bem próprio do grupo. Isso já é um diferencial inicial para conhecermos e nos aprofundarmos no mostrado por eles.

Trazendo consigo letras de destaque emocional e melancólico, esse trbaalho expressa sentimentos internos e os desenvolve ao longo de cada track a valorização da memória. Canções como “Bistrô” e “Quinta Chuvosa” são íntimas, porém não intimidantes. Ao contrário disso, elas correspondem ao lado desnudo de nossas almas, nossa mente e coração, nos permitindo mostrar uma parte de quem somos ao mundo, um lado verdadeiro no qual antes estava escondido.

Em um trecho de destaque de “Bistrô” – “Me conheci antes quase de encostar nos dedos da alegria” – me faz pensar em uma época de aceitação na época da adolescência, onde me via desafiada a mudar, não por vontade própria, e sim para agradar outro alguém a ponto de buscar uma perfeição inexistente. Depois de tanto esforço e perceber que não chegaria a lugar algum, comecei a me amar do jeito que sou e no momento em que Naiça Mel – o vocalista – cita a alegria percebo que é como me sinto comigo mesma agora.

Capa de Apesar de Tudo

Em “Quinta Chuvosa”, é retratado um fim de relacionamento, antes indo bem até que o “fogo da paixão” foi apagado sobrando apenas cinzas, brigas e mágoas, deixando toda a lamentação expressa para o eu lírico. Não apenas em relacionamentos amorosos, é possível perceber que durante todos os convívios na qual temos na vida deixam resquícios, sejam eles bons ou ruins. Isso acaba sempre nos levando a questionar sobre o que “aquela pessoa” nos deixou, o que aprendemos, se vamos perdoar ou permitir a intensidade do sentimento de mágoa sobre essas questões.

Permita-me então dizer que o álbum como um todo vale da avaliação pessoal de cada ouvinte. Um sentimento não correspondido volta à tona? Uma raiva não identificado antes quer sair? Uma coragem nasceu dentro de si a ponto de mandar uma mensagem? Ou então te fez levantar da cama e viver o dia de hoje deixando o ontem pra trás? Acredito que um pouco de tudo. É uma mistura de sensações e uma realização bastante intensa por parte do grupo.

Os ouvintes sente-se comovidos e estimulados a realizar uma busca interior dentro de seu passado, seus sentimentos e sua construção pessoal – como ele se sente perante a angústia, solidão, amor e melancolia. As músicas instigam através de suas notas a compreensão dos sentidos, acabando por fazer sobre o atual estado mental de cada um em relação a si próprio e aos que estão em volta.

Na capa do álbum é perceptível a imagem de um tijolo, nos levando a acreditar no conceito de construção individual e como nos colocamos perante à questões sociais. É uma relação também dita anteirormente sobre essa individualidade e percepção própria. Não chega a ser algo mais voltado a um sentido individual, contudo é uma realização interessada em nossas cabeças e do jeito na qual a vemos.

A Guardavento é uma banda independente formada em 2017 por Naiça Mel (vocal), Lídia Moreira (teclados), Anderson Freitas (guitarra/teclado), Humberto Florim (baixo) e Yan Britto (bateria). Durante o processo de formação da banda, o grupo consolidou uma nova identidade para seu som, atendendo grandes expectativas sentimentalistas e contemporâneas. É possível encontrar a banda em plataformas de stream como Spotify e Youtube.

Confira Apesar de Tudo:

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *