Indicação: Kim Petras

A era dos streamings pode não ser a melhor do mundo em vários aspectos, mas quando acerta, acerta muito. E, dessa vez, o acerto foi ter colocado nas minhas descobertas da semana a alemã Kim Petras. Ela já estava fazendo um burburinho há um tempo, porém o que eu pensei incialmente foi: “Mais uma cantora de pop alternativo”. Bem, estava certo. O problema é que dessa vez eu amei a música e fui correr atrás de ouvir e descobrir tudo sobre ela.

Resumindo, é basicamente isso aqui: Kim na verdade nasceu Tim, ou seja, é uma mulher transexual. Sua transição foi feita aos olhos do público, pois foi uma das pessoas mais novas a passar por ela. Depois de transacionada, ela foi modelo, youtuber e iniciou a fazer covers. E assim seguiu até que em 2017 ela apareceu com seu primeiro single. Desde então a artista não parou mais, se transformando em um dos grandes nomes a serem vistos para os próximos anos.

“I Don’t Want It At All” é uma faixa pop bem no padrão do seu produtor, o Dr. Luke (sim, o abusador da Kesha). Inclusive, Kesha é uma boa comparação para onde Kim está seguindo. No entanto, é uma afiliação polêmica para se fazer. Enfim, o debut single. É incrível.  Ele é bom de cantar junto e o clipe é divertido, com uma estética super legal e nada menos que a participação da rainha dos anos 2000: Paris Hilton – fala sério, Kim está abençoadíssima depois dessa.

Charli XCX logo viu uma oportunidade e a chamou para participar do ótimo Pop 2, com a canção “Unlock It”. Ela tem outras feats, com o Cheat Codes e o Lil aaron, todas igualmente ótimas. Mas solo, ela foi lançando singles atrás de singles no que ela mesma chama de Era 1. Músicas em que a capa é o rosto dela feito como se fosse um letreiro de nenhum e em cada música é uma cor do arco-iris diferente. Como os outros trabalhos, todas as músicas são um pop muito divertido. Destaque para “Heart to Break” e a maravilhosa “1,2,3 days up” com a SOPHIE.

No meio da produção da Era 1, Kim lança seu primeiro álbum TURN OFF THE LIGHTS, VOL.1 no dia 1 de Outubro e, como a época é proprícia, é um album tematico de Halloween. Com diversos interludes que enriquecem a temática, Kim explora sua veia um pouco mais obscura, ainda trazendo – sem medo nenhum – muito pop. Todas as músicas cantadas são um destaque, mas as minhas favoritas sem dúvidas é o featuring a Elvira (!!!!!!!!!!!!) e “Tell Me It’s a Nightmare” (a faixa na qual o Spotify me indicou).

Em 2019, a artista está lançando diversas músicas, provavelmente de um novo projeto, já que seguem uma estética de divulgação diferente da Era 1; e planeja o volume 2 de TURN OFF THE LIGHTS. As melhores dessa nova era com certeza é a mais recente “Sweet Spot” e “Broken”.

Vou continuar acompanhando essa estrela pop em ascensão e torcer para que ela fique cada vez maior, considerando a representatividade para meninas como ela. Kim Petras pode ainda não ser um nome mundialmente reconhecido em grandes festivais e shows, todavia deverá aparecer ainda como gigantesca nos próximos anos.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *