Kisses: a estreia internacional de Anitta

Depois de muito tempo sem lançar um álbum e trabalhando apenas com singles, Anitta disponibiliza seu primeiro CD direcionado ao publico internacional: Kisses. Seguindo o meme, a cantora canta nas três línguas que é fluente. Já tendo uma videografia incrível, ela resolve lançar, para complementar, um trabalho visual:

– Atención

Acompanhada de suas frases de efeito, a cantora de Honório Gurgel rebola sua bunda em espanhol, dizendo para o que veio com uma faixa. É legal ela lembrar suas origens logo na abertura, como uma apresentação, já que está indo para lugares diferentes. Mas a música em si é sem graça e não anima para começar um disco desses. Contudo, o clipe, com diversas mulheres de corpos diferentes é ótimo e um trabalho bonito.

– Banana (feat. Becky G)

O melhor clipe do álbum é este, com suas cores, seus exageros, sua sensualidade e seus figurinos, ele grita diva pop. O apelo visual melhora a experiência de ouvir a música, que sem ele é apenas mais uma música pop alta filler de algo feito pela Charli XCX (com menos auto tune, claro). É divertida e com letra provante; o feat. com a Becky G é o ponto alto, sendo as melhores partes da música.

– Onda Diferente (feat. Ludmilla, Snoop Dogg e Papatinho)

Fazendo o que o público sempre implora, a cantora revisita o funk com seus colegas Ludmilla e Papatinho, chamando o famoso Snoop Dog, que da outra cara para a música e deixa ela muito melhor. Parece bastante uma faixa de trap/hip-hop da atualidade, devendo fazer bastante sucesso.

– Sin Miedo (feat. Dj Luian e Mambo Kingz)

Não conseguia lembrar dela quando eu comecei a escrever. Nem dela, nem do clipe. Isso já diz muita coisa, não é mesmo?. Vi o clipe e lembrei que é aquele que ela ta numa festa muito louca e beijando todo mundo. Ok. É legal. Mas parece um marasmo bem perdido.

– Poquito

Romântica, a artista avisa que precisa de pouco para se apaixonar por ela nessa música, na qual se destaca, quebrando o clima que tinha se instaurado. E é muito boa essa descansada, necessária dentro de um CD pautado em algo gigantesco e sem parar. A voz do Swae Lee combina com a da Anitta, mantendo um ritmo legal.

– Tu y Yo

Continuando romântica e lenta, a brasileira apresenta uma versão sem graça da música anterior. Em compensação, quando ela se aventura com a voz no verso em que fala “Apaga la luz” consegue trazer algo bem interessante para sua composição. O clipe se destaca, é bem bonito e bem editado.

– Get to Know Me

Parceria de longa data, Alesso está de novo com Anitta para apresentar uma faixa que ao mesmo tempo que é muito brasileira, é também internacional. Intrigante ver o visual e o ritmo dela gritando o que americanos pensam que o Rio de Janeiro é quando ela canta em inglês. É uma das melhores músicas para se introduzir no mercado internacional.

– Rosa

Extremamente sexy, mas sem estar explicita, a cantora convida Prince Royce para umacanção em que tanto a batida, quanto a letra são atrativos. No entanto, enquanto é boa por si só, passa despercebida no meio de tantas outras. O mesmo é possível dizer pelo clipe, similar na sua sensação com a música, mas emanando esse mesmo senso perdido. 

– Juego

A letra mostra a artista batendo o pé dizendo que não é igual as outras e que tem muita personalidade; o que é verdade, nós já vimos muito essa personalidade, mas não aqui nessa música. No entendo, o clipe é ótimo.

– Você Mentir (feat. Caetano Veloso)

Para ter algo na discografia que prove que ela vai além dos hits que é conhecida (coisa que ela já tinha provado diversas outras vezes), ela chama Caetano Veloso para uma faixa gostosinha e uma ótima maneira de encerrar o disco. Isso acaba trazendo um encerramento ao menos digno.

De um álbum visual é normal esperar um conceito ou pelo menos uma continuidade entre os clipes e as músicas, o que não acontece aqui. São diversos potenciais singles juntos, sem nenhum motivo. A primeira vista não seria ruim, se tivesse sido vendido desta forma. Nas canções não têm muitas surpresas. Algumas são músicas da Anitta que já conhecemos, outras são apenas músicas genéricas. Ele deixa a sensação de que dava para ser feito mais do que foi feito. Particularmente, sinto que a cantora pode muito mais do que foi feito, mas a imagem dela já está tão desgastada de tantas polêmicas e hits, que acredito ser mais aceito se fosse lançado depois de uma pausa ou tempo para o público e a cantora respirarem. No entanto, é um trabalho legal. Não tem como dizer que é ruim; ele é bem produzido, tem letras pop ok e a cantora entrega um vocal safo. Mas não passa disso, infelizmente. Ele foi bem recebido pela crítica internacional e ainda é cedo pra saber se o publico vai gostar tanto quanto, além da dificuldade de saber sobre seu futuro internacional.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *