A Warner pode disputar com a Disney?

Quando a Disney confirmou a compra da 20th Century FOX, um dos assuntos mais comentados nas redes sociais – além da eventual entrada dos X-Men e do Quarteto Fantástico no Universo Cinematográfico Marvel – foi que agora o grupo do Mickey teria um gigantesco monopólio de mercado. Foi dito que a segunda maior empresa na disputa, a Warner Bros., começaria a perder sua força dentro dessa grande guerra. Todavia, um feito inédito aconteceu: a empresa, dona da DC, completou quatro semanas com os dois primeiros lugares na bilheteria americana, algo que já não acontecia há 25 anos.

Isso representa algo sintomático dentro do mercado cinematográfico estadunidense. Até porque, analisando os maiores sucessos da Disney nesse ano, todos (absolutamente TODOS) são parte de algo maior, seja uma franquia ou uma série de filmes. Isso representa um pouco da falta de inovação dentro de qualquer atividade dentro do estúdio. Talvez o último grande sopro advindo do nada foi Frozen – Uma Aventura Congelante, que se tornou a maior bilheteria de uma animação na história. Essa continuidade desenfreada de estrondo na arrecadação com longas já esperados, gera uma certa parcimônia, um não objetivo de realmente se arriscar.

Veja bem, não se trata de tomar partidos ou defender a FOX, mas é inegável que a casa da raposa é um dos estúdios que mais se arrisca (arriscava) em seus projetos. Desde a realização de novidades do próprio gênero de heróis, até a criação de selos específicos para experimentações com a sétima arte em si – com destaque para a Fox Searchlight (de obras independentes) e Fox 2000 (de adaptações literárias). Isso estava começando a render um maior reconhecimento para um grande estúdio buscando que suas produções disputassem o Oscar e outras premiações renomadas ao redor do mundo. O grande problema é o recurso financeiro: apesar do prestígio alcançado, a maioria desses projetos não rendia muito lucro. Analisando o histórico recente da Disney, é impossível não se perguntar se o estúdio irá querer continuar com isso.

Apesar dessa imensa volta, o assunto fica no fato da Warner ter readquirido sua força, entrando de cabeça no mercado com filmes diferentes entre si. A Freira, Megatubarão e Podres de Rico renderam um novo fôlego para a disputa, acirrando ainda mais a competição. É claro que não pode ser esquecido o fato de nenhuma gigantesca produção estar em concorrência direta, porém essa alteração de quadro representa até um pouco do público, em si, buscando novidades em termos de projetos.

Cena de Nasce uma Estrela.

Muito mais que o universo de heróis, existe um objetivo de criar novidades dentro da audiência para gerar um novo estúdio grande indo disputar premiações, como é o caso de Nasce uma Estrela, protagonizado por Lady Gaga. Além disso, a expansão de sagas cria uma nova perspectiva de futuro financeiro fora de adaptações das HQ’s. Os maiores exemplos são os vindouros Godzilla vs. Kong e Godzilla 2. Tudo isso só corrobora com o pensamento que a Disney precisa sim observar como não está sozinha nesse mercado, apesar de sua força gigantesca.

Talvez daqui a alguns anos essa discussão esteja em outro patamar, visto que as transações do mercado de entretenimento parecem não querer parar nunca. Talvez, até lá, novos concorrentes apareçam e serviços como a Netflix e o Hulu cresçam ainda mais, disputando com as grandes de maneira mais acalorada do que hoje, já que é notável como a presença das mesmas mexeu com o campo e a corrida para alcançar ou superar o sucesso obtidopor eles está cada vez mais acirrada. No momento, para os fãs de cinema, especular se torna até divertido, visto que a variedade nos produtos parece maior. O problema são os estúdios menores se tornarem reféns disso tudo, causando uma possível polarização.

Se a Warner Bros. possui fôlego para disputar com a Disney? Sem dúvidas. O problema é até que ponto essa disputa ainda é realmente leal.

Comentários

Cláudio Gabriel

É apaixonado por cinema, séries, música, quadrinhos e qualquer elemento da cultura pop que o faça feliz. Seu maior sonho é ver o Senta Aí sendo reconhecido... e acha que isso está mais próximo do que se espera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *