As melhores séries de 2018

O fim de ano chega e com ele as listas de melhores coisas que assistimos/ouvimos/lemos nesse que passou começa. Por isso, o Senta Aí resolveu se reunir – chamando alguns convidados – e fazer uma lista de séries mais marcantes do ano. Com certeza, muitas delas podem ser discordantes por quem esteja lendo, por isso mandem para podermos comparar as listas. Seguem, então, na ordem crescente, as 10 melhores séries de 2018:

10º – American Vandal (2ª temporada)

Mesmo tendo sido cancelada após essa segunda temporada pela Netflix, American Vandal se mostrou como uma das obras mais criativas para a TV nesses últimos anos. Partindo sempre de uma história boba – a desse ano abordou um surto de diarreia em um colégio -, as escolhas narrativas transformam em algo sempre surpreendente e curioso de se acompanhar.

9º – Sharp Objects

Após Big Little Lies, a HBO investiu mais uma vez em uma produção focada na protagonista feminina e em uma história dramática. Sharp Objects pode não ter tido o mesmo impacto perante o público, porém agradou bastante a crítica e ainda houveram pedidos para uma segunda temporada. Sorte que houve uma consciência para não retornar essa trama fechada, na qual agradou bastante.

8º – Dear White People (2ª temporada)

Após diversos comentários racistas perante a obra antes mesmo de sua estreia, Dear White People se firmou como uma das melhores produções do canal de streaming vermelho. Muito mais do que apenas contar sobre juventude, o seriado consegue explorar diversas questões pertinentes sobre racismo e possui personagens sempre bem desenvolvidos. É, sem dúvidas, uma das maiores surpresas recentes da TV.

7º – The Good Place (3ª temporada)

The Good Place já demonstrou em suas temporadas anteriores como é uma das sitcoms mais únicas da TV atualmente. Na terceira temporada, ela mantém os elementos fantásticos enquanto prioriza novamente o desenvolvimento de seus personagens em uma nova dinâmica. A mitologia e o humor continuam tão bons quanto antes e o único defeito do terceiro ano até agora foi desejar que a personagem de Kirby Howell-Baptiste ganhasse mais tempo de tela.

6º – The Americans (6ª temporada)

A temporada final de uma das obras mais aclamadas da TV americana dessa última década. Talvez junto com Breaking Bad e The Leftlovers, forme uma trilogia de seriados não tão vistos, mas totalmente venerados pela crítica e por um público fanático. The Americans termina com chave de ouro, em um dos finais mais apoteóticos da TV. Parabéns ao FX, que deixou ela chegar até seu fim.

5º – Homecoming 

Uma das grandes estreias de 2018, além de trazer para as séries uma das maiores atrizes de Hollywood dos anos 2000: Julia Roberts. O nome de Sam Esmail, criador de Mr. Robot, ainda trouxe mais credibilidade e força para Homecoming. Bom, as expectativas foram atendidas com louvor. Um suspense psicológico e drama de guerra para poucos, trazendo uma história repleta de reviravoltas.

Veja mais sobre aqui.

4º – Barry

Outra estreia vinda de lugar nenhum, pelo menos sob o nome da gigantesca HBO. Surgiu sem muito murmurinho e foi conquistando a audiência ao longo dos episódios, sempre em uma mistura sarcástica de comédia e drama. Não é uma trama diferente de tudo, porém traz bastante um lado da necessidade da arte como forma de viver, alternando com momentos de grandes tiroteios.

Veja mais sobre aqui.

3º – Atlanta (2ª temporada)

Depois de uma primeira temporada abordando os mais diversos assuntos, em uma trajetória bem linear, a segunda de Atlanta expande ainda mais esse universo criado por Donald Glover. Aqui, ele tenta desconstruir e reconstruir diversos gêneros, principalmente, o terror e a comédia. Além disso, a ideia de fazer histórias separadas do arco principal constroem ainda mais características dos personagens principais. O que se pode esperar de Atlanta para os próximos anos? Uma das melhores séries da história.

2º – The Hauting of Hill House

Após o estrondo inicial de American Horror Story, o terror entrou em uma queda de força e qualidade na TV. Com isso, The Haunting of Hill House se aproveitou desse espaço para construir uma narrativa pungente, totalmente intrigante e única. É um horror clássico de casa mal assombrada, mas ao mesmo tempo uma trama sobre destroçamento de uma família por essa casa. Apesar de possuir um final controverso, a experiência faz tudo valer a pena.

Veja mais sobre aqui.

1º – Killing Eve

Adaptação dos contos de Luke Jennings sobre um jogo de gato e rato entre uma implacável assassina e uma detetive, Killing Eve foi um dos maiores destaques televisivos em 2018. O roteiro, escrito por Phoebe Waller-Bridge, não é só dinâmico e coeso, mas também bem-humorado, trazendo um equilíbrio entre tensão e suspense que fazem o seriado se destacar no gênero. Além disso, as atuações de Sandra Oh e Jodie Comer elevam personagens já beneficiadas pelo roteiro.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *