Coluna do Pedro | Os sete álbuns da Taylor ranqueados de acordo com suas composições

Que Taylor Swift se transformou em uma das maiores compistoras da atualidade, todo mundo já sabe. Ela tem indicações e prêmios (além de aclamação do público) para provar isso. Além do fato de ter nos presenteou com uma discografia cheia de excelentes composições. E, como um fã da cantora, vivo confabulando sobre os pontos fortes e fracos dessa discografia. E é ai que chegamos nesse ranking: do pior para o melhor album da taylor (de acordo com suas letras). 

7º – Taylor Swift

O álbum que estreou a cantora como a pequena diva country que ela já foi tem composições incríveis, mas talvez as mais fracas. Não por serem ruins ou algo do tipo, mas por não conter toda a experiência que Taylor foi ganhando com o tempo. Os assuntos que ele trata aqui são os mesmo que diversos artistas adolescentes estavam tratando na mesma época, com a diferença que esses tinham um time de compositores profissionais por trás e a Taylor apenas seguiu a cartilha do country americano de contar uma história através dos versos. Ainda assim, ele contém letras que envelheceram igual vinho, como “Teardrops On My Guitar” e “Our Song”. Uma das minhas músicas preferidas é uma daquelas na qual o assunto é batido e poderia ser melhor, mas mesmo assim consegue ser ótima para cantar gritando no banho: “Should’ve Said No”. 

6º – reputation

O polêmico disco da cantora, no qual respondeu à – basicamente – todas as tretas que ela estava envolvida contém composições que ficam muito para trás de tudo que ela pode fazer. Esse vem logo depois de 1989, então era esperado um amadurecimento na composição, algo meio inexistente por aqui. Taylor poderia ter tomado diversos caminhos para falar o que queria, mas ela falou da forma ainda infantil, baseada em certas questões e pensamentos quase do ensino médio. Acaba que letras dos singles principais são bobas. Ela se salva por ter experiência no pop e um bom time de compositores entendedores do gênero, tornando as faixas pelo menos cativantes.

5º – Fearless 

Esse foi o disco que colocou Taylor como ídola teen e entregou seus dois primeiros Grammys. Ele trata dos assuntos remetentes e repetentes ao seu trabalho de estreia, mas de uma forma muito melhorada. A artista entrega aqui tudo o que o adolescente apaixonado precisa. “Fearless”, “Love Story”, “Fifteen” e “You Belong With Me” são músicas que elevaram a carreira da cantora e todas se encontram nesse álbum. A minha favorita é a triste “You’re Not Sorry”. 

4º – Speak Now

Nesse CD, Swift já estava estabelecida e já tinha uma reputação de contar suas desventuras amorosas em suas canções. Suas composições podem até ser vistas como uma parte dois do Fearless, considerando a temática e a forma de escrever. No entanto, aqui seus pensamentos perpassapam também pelo sentido do peso da fama e fala sobre isso. “Mean”, a musica que lhe rendeu um Grammy no álbum, é uma das melhores composições da artista. Pessoalmente, nada desse álbum consegue ser melhor que “Innocent” e “Haunted”. 

3º – 1989

O albúm que marca a transição definitiva da cantora para o pop é ótimo em todos os aspectos da palavra. Ele tem letras que falam muito sobre quem a mesma é e são pessoais, como ela costumava fazer, mas com um apelo para o pop pouquíssimo feito antes. Aqui Taylor Swift explora um lado mais divertido no meio dos seus problemas e mesm as músicas românticas ganham uma roupagem diferente do que o usual. Esse trabalho garantiu para cantora outro Grammy de Álbum do Ano.

2º – Lover

O mais recente trabalho da Taylor é, de longe, o mais maduro de sua carreira. Ela consegue tocar em assuntos importantes, consegue ser sincera, consegue ser romântica e consegue ser o que ser propõe: uma diva pop. Mais confortável no estilo, ela traz a coesão usual de suas performances novamente, mas de forma mais literal. É divertido acompanhar o crescimento apresentado internamente pelas letras de suas músicas. Aqui, ela já não tem medo de falar sobre sexo ou se mostrar infantil conscientemente (diferente do reputation). A cantora explora diversas formas de se escrever aqui. E sucede em todas

1º – RED

De longe o meu álbum preferido da Taylor (e um dos meus preferidos da vida), o Red é a obra prima da cantora em todas as formas posíveis. Ele começa a transição para o pop brilhantemente, com o hit “I Knew You Were Trouble” e é rico em produção e composição. A cantora estava, claramente, passando por uma época dificil quando escreveu, pois ele é tão sincero e cruel que chega a doer. Acho que nunca passarei por algo que me faça sentir o que ela sentiu quando escreveu “All Too Well”. Ou “Almost Do” (PELO AMOR DE DEUS ALMOST DO!!!!!!). A força com que a cantora se expressa é equivalente a um coice de cavalo. Não só nas dores, mas até quando a mesma quer se divertir é a melhor diversão do mundo. Os 22 anos na qual ficaram marcantes. Eu poderia ficar horas escrevendo e surtando por cada faixa desse álbum, mas isso seria é uma linda e triste tragédia (ba-dum-tss). 

O conjunto da obra é uma carreira que evolui, é sincera e tem mais altos do que baixos. Mas o que você acha sobre os álbuns de Taylor Swift? Tem algum preferido? E se você tivesse que ranquear? 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *