Os 5 melhores shows da segunda semana de Rock in Rio 2019

A primeira semana de Rock in Rio já havia dado o que falar. Isso só foi uma catapulta para o que viria a acontecer na segunda, em que teria alguns dos shows mais badalados, como Anitta, Scorpions, P!nk, Imagine Dragons, entre outros. Contudo, dentre os maiores brilhos dessa segunda semana, alguns não vieram esperados. Por isso, veja aqui nossa nova lista dos melhores shows dessa segunda semana de Rock in Rio 2019:

– King Crimson

Créditos: Marta Ayora / TMDQA!

Chegando com uma imensa expectativa, o King Crimson vinha em uma espiral de dúvidas. A simplicidade apoteótica dos instrumentos (contando, inclusive, com 3 baterias) trouxe essa carga até bem esperada. Contudo, o que seria a primeira vinda deles em terras brasileiras? Em São Paulo, isso passou pelo nenhum uso de celulares. No Rio, por um público bem mais reduzido que quase todos os shows do último dia. Todavia, por uma apresentação perfeita musicalmente e uma platéia totalmente conectada, transformando o Palco Sunset em quase uma realidade paralela. Apesar do curto tempo (foram cerca de 1 hora), os solos de bateria e as fortes pitadas de rock progressivo conversaram bem mais com o público do que qualquer palavra.

– Black Eyed Peas

Créditos: Marcelo Brandt/G1

Já era esperada um show repleto de hits. Contudo, o Black Eyed Peas – pela primeira vez no país sem Fergie -, soube bem demais usar isso ao seu favor. Não houve nenhuma canção que pudesse desanimar qualquer um dos presentes, trazendo um clima meio de balada e meio de karaokê. Todos cantando o mais alto das vozes em cada música vinda mostravam bem como eles ainda sabem bem fazer show. Se o pop parece cada vez mais carente das performances cenográficas sem o uso musical, o quarteto mostrou como algo mais direto pode funcionar.

– Nile Rodgers and Chic

Créditos: Alexandre Durão/G1

Quando apareceu no Palco Sunset em 2017, Nile Rodgers chamou o público reduzido para dançar e celebrar grandes clássicos produzidos por eles. Agora, indo para o Palco Mundo e ainda com a mesma companhia do Chic, fez o mesmo para uma intensa multidão. Esses, na qual esperavam Panic! At the Disco e Red Hot Chili Peppers chegarem, se viram nos anos 70 e 80, embalados por músicas extremamente envolventes e marcantes. Eram pouquíssimos na cidade do rock sem dançar e celebrar o legado do dance, pop, rock e muito mais. Deu para ver bem como Rodgers sabe usar o público a seu favor.

– Iron Maiden

Créditos: Marcelo Brandt/G1

Quando os primeiros acordes de “Aces High” tocaram, o Rock in Rio veio abaixo. O dia do metal, um dos sempre mais tensos e intensos, espearava empolvorosos para mais uma performance de Iron Maiden no festival. Entretanto, o que viram realmente foi algo extremamente marcante. Não apenas um dos melhores shows dessa edição, mas um dos grandes da história do evento. A cenografia remetia a uma história contada pelas passagens do inferno e renascimento do mascote da banda, o Eddie. E isso poderia ser algo bem aleatório, caso não estivéssemos falando de Maiden. Para complementar já isso, fizeram um setlist absurdo, passando por canções mais recentes e clássicos, sempre remontando toda a história contada no lado performático. Algo inesquecível aconteceu naquele dia.

– Muse

Créditos: Marta Ayora / TMDQA!

É sempre complicado ser a última atração do último dia de um festival tão grande como o Rock in Rio. Muse teve que cumprir esse papel para um público mais esvaziado, na qual parecia ter ido nesse dia afim de ver a anterior, Imagine Dragons. Contudo, finalizaram o evento simplesmente sendo um dos melhores shows de todos junto com Iron. E para chegarem a isso fizeram o mesmo: lado performático muito forte com uma onipresença de grandes músicas para compor toda a trama montada. O lado meio psicodélico e eletrônico do último álbum deles – Simulation Theory – fez parte constante durante todas as quase 2 horas. O público que veio para vê-los parecia impressionado, cantando todas as músicas, uma atrás da outra. Fizeram o dia 06 ser lembrado para sempre.

Comentários

Cláudio Gabriel

É apaixonado por cinema, séries, música, quadrinhos e qualquer elemento da cultura pop que o faça feliz. Seu maior sonho é ver o Senta Aí sendo reconhecido... e acha que isso está mais próximo do que se espera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *