Silva: Para conhecer e contemplar a cara do novo MPB

Você provavelmente já ouviu falar em Lúcio Silva de Souza.

Certamente, ouviu sua voz em algum lugar, seja na colaboração na música de Clarice Falcão na faixa ‘Eu Me lembro’, seja com seus covers de Marisa Monte, ou seja agora, com seu mais recente single do novo álbum ‘Brasileiro’: Fica Tudo Bem com participação de Anitta. O capixaba tem 5 álbuns de estúdio, então se você tem algum interesse em saber um pouco sobre eles e tiver curiosidade sobre esse artista incrível, ou até mesmo se você nunca ouviu falar, essa é a chance. Eu poderia ficar o dia inteiro falando desse canceriano que merece todo o reconhecimento e sucesso do Brasil, e como ele consegue dizer tudo com múltiplos significados utilizando letras românticas e poéticas.

Claridão

Lançado em 2012, esse álbum de estreia se destacou no cenário musical da época por obter uma pegada diferente do que estava em alta. O cantor sempre trouxe essa proposta de um MPB contemporâneo, mas como primeiro álbum, é claro que tem suas falhas, mas o som não deixa de ser de qualidade e inovador. O single ‘Falando Sério’, quando disponibilizado, ficou por várias semanas no topo das músicas mais baixadas no iTunes e o álbum também ficou entre os dez mais baixados da plataforma nessa semana.

Vista Pro Mar

Pessoalmente, é um preferido. Lançado em 2014, o sugestivo título ‘Vista pro Amar’ propõe uma sensação de nostalgia, como se você estivesse sentado na praia aproveitando todo seu som e sua calmaria. Silva quis fazer um disco que fosse ensolarado, ‘pra cima’, que fosse bom de ouvir ao lado da piscina e ele acertou em cheio. ‘Vista Pro Mar’ tem uma vibe tão tranquila, perfeito para se ouvir em um dia de sol aonde a única coisa que você quer fazer é relaxar e ele foi eleito o oitavo melhor disco nacional de 2014 pela Rolling Stone Brasil. Gostaria de colocar todas as músicas aqui porque o álbum inteiro é magnífico, sem exceções, mas deixo aqui ‘É Preciso Dizer’, single que resume bem o conceito do álbum:

  Júpiter

O terceiro álbum foi lançado em 2015 e é mais pop que os anteriores, com letras mais românticas e simples, uma mistura de batidas que grudam na cabeça junto da voz doce e acolhedora de Silva, que inclusive, é o destaque desse disco. Lúcio fez um post no instagram comentando das influencias de Júpiter e ele afirma que é o álbum que mais mostra sua personalidade e reflete sua mudança. Um trecho de sua postagem simplifica bem o conceito dessa obra: ”Uma proposta e alternativa contra esses dias tão estranhos de hoje, em que ainda precisamos conviver com tanta mesmice representada por preconceito, intolerância e todo tipo de violência. Júpiter, aqui, é um lugar onde o amor tem a possibilidade de vencer, sem adiamentos ou desculpas”. É aqui que ele vai se posicionar como membro e apoiador da comunidade LGBT, vai cantar pela primeira vez sobre sua sexualidade, podemos ver claramente isso na canção ‘Sou Desse Jeito’ e no clipe de ‘Feliz e Ponto’ que foi um sucesso. Deixo aqui a música de mesmo nome do disco, Júpiter, que introduz muito bem a ideia do álbum.

Silva Canta Marisa

Lançado em 2016, esse quarto álbum de estúdio do cantor brasileiro é uma homenagem à Marisa Monte, sua grande ídola, e contém músicas de todas as fases da cantora, incluindo projetos paralelos como os Tribalistas. O álbum ainda tem uma música inédita com Marisa Monte, escrita em conjunto com a mesma, essa canção que me traz uma paz imensa, parece que ela diz ”Eu sei que está uma bagunça agora, mas vai ficar tudo bem”, algo que se encaixa em qualquer aspecto, inclusive político.

Brasileiro

Lançado no dia 25 de maio desse ano, Brasileiro é com certeza é álbum mais maduro do cantor, que abandonou o excesso de sintetizadores e a influência gringa, aqui ele abraça a cultura brasileira. Silva faz parte do conceito de uma Nova MPB, que traz uma mistura de experimentalismo de vários ritmos do Brasil.  Seu primeiro single, ‘A Cor É Rosa’, é um sambinha moderno, com um clipe mostrando vários cantos do nosso país. Já a faixa ‘Fica Tudo Bem’ em parceria com Anitta é um pop suave com um encaixe perfeito das duas vozes. Eu, particularmente, não consigo parar de ouvir esse álbum, o projeto mais engajado e reflexivo de Silva, que enaltece a identidade brasileira de maneira extraordinária, é satisfatório ver toda essa evolução do capixaba que fez ele chegar nesse disco único e autêntico. Aqui deixo a canção ‘Nada Será Como Era Antes’, uma contemplação sobre o que é ser brasileiro e sobre o nosso cenário sociopolítico: ”É melhor me abraçar do que dar tiro, minha terra é de paz, ninguém pode arrancar esse bem”

Comentários

Ana Barbosa

Estudante de Jornalismo, feminista e enaltecedora de mulheres na arte. Viciada em séries, principalmente em Doctor Who, compra mais livros do que consegue ler e não recusa um café. A típica canceriana que chora em todos os filmes que assiste, ou pelo menos quase todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *