A Cozinha: Rainhas do Crime – Da HQ aos cinemas

Os maridos mafiosos acabam sendo debilitados de continuarem o seu serviço devido a uma prisão. As mulheres, então, assumem todo o trabalho de vida do crime. Já ouviu essa história antes? Apesar da similaridade forte com o livro e o filme As Viúvas (confira nosso texto sobre o longa aqui), A Cozinha: Rainhas do Crime busca sua trajetória bastante particular. Isso pelo fato da HQ, surgida em 2015, traçar um lado ainda mais direto e brutal sobre a história das máfias em Nova York. Não é chegado aqui a um limite violento como O Poderoso Chefão, por exemplo, todavia a obra busca um olhar diferenciado.

Na história temos Kath, Raven e Angie, na qual acabam descobrindo a fixação pelo crime como uma necessidade. Tudo é iniciado quando elas chegam para cobrar um homem na qual deve para o marido, porém Kath acaba o matando. Essa situação, como a própria descreve, a deixa se sentindo “intocável”. A partir desse ponto, o roteiro de Ollie Masters (os desenhos são de Ming Doyle) desenvolve mais sobre essas figuras de diferentes pontos de vista.

Uma trama dessas acaba gerando uma empolgação inerente pelo fato de vermos personagens femininas assumindo um papel de destaque – em um primeiro lugar – e sobre o desenvolvimento das engrenagens da máfia, tema amado por muitos. A narrativa do quadrinho coloca tudo isso em voga, desenvolvendo para limites até cheios de aventura, ação e uma tensão gigantesca criada. A minissérie, concluída em 8 edições, põe luz a velha discussão sobre como o poder consegue alterar uma pessoa. No caso aqui, 3 pessoas. Essas, totalmente transtornadas e olhando de um jeito diferente para o mundo, inclusive para seus maridos.

Agora em 2019, a Warner lança nos cinemas a produção Rainhas do Crime. O filme é inspirado totalmente na HQ publicada pela Vertigo/DC, inclusive com aparecimentos da trama da obra original no trailer já. Apesar de possuir esse paradeiro, que poderia render bons frutos, o longa acabou sendo bastante massacrado pela crítica e pelo público. Enquanto a nota média do metascore é de 36 pelo lado das críticas, a audiência dá apenas 5.2 de média no IMDB. Muito pouco para quem se propõe a mais.

Além disso, é impossível não contar também com a grande força presente dentro do elenco e produção, que acabaram gerando impressões negativas. A direção ficou por conta da estreante Andrea Berloff, na qual havia escrito Straight Outta Compton anteriormente. O elenco do trio de protagonistas fica para Melissa McCarthyTiffany HaddishElisabeth Moss, simplesmente. Três nomes com atual grande destaque na indústria hollywoodiana, escaladas como jeito de salvação e venda da produção. Isso realmente não deu nada de resultado positivo. Com o orçamento de US$38 milhões, a arrecadação – até o dia de publicação desse post – é de US$12 milhões. Muito pouco.

A Cozinha: Rainhas do Crime pode não chegar a revolucionar nada, mas é uma divertida e interessante história. Isso nos quadrinhos, aonde a trama teve sucesso com aprovação por parte dos leitores e críticos da nona arte. Se nos cinemas a história é outra, nada pode ser feito. Apenas, realmente, apreciar o material original.

 

Comentários

Cláudio Gabriel

É apaixonado por cinema, séries, música, quadrinhos e qualquer elemento da cultura pop que o faça feliz. Seu maior sonho é ver o Senta Aí sendo reconhecido... e acha que isso está mais próximo do que se espera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *