Confira tudo que rolou no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

Na noite desse último dia 18 (terça-feira), aconteceu na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, mais uma premiação do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. A noite reservou o espaço especial para algumas produções nacionais que ganharam destaque durante o ano de 2017, sendo Bingo – O Rei das Manhãs o longa agraciado com a maior conquista da noite, além de ter levado outros 7 prêmios.

“O Bingo é uma vontade de poder olhar para nossa cultura pop, para o Brasil nos anos 80, para entender que país a gente era e que país a gente é.” Disse Daniel Rezende, diretor do filme ao Senta Aí. Ele ainda completa: “Então, ele é um misto da pornochanchada, da televisão, com o teatro de revista, com esse culto a celebridades. O que mais me instigou era olhar esse desejo que temos todos hoje como era há 30 anos, podendo nos entender como cultura.”

Ainda sobrou um tempinho para que Rezende pudesse falar um pouco sobre seu próximo projeto, Turma da Mônica – Laços:

A Turma da Mônica tem a influência de poder olhar nossa cultura. O meu trabalho tem sido como a gente pode conciliar o público com histórias bem feitas, dramaturgias bem realizadas, e, principalmente, olhar para nossa cultura. [Turma da Mônica] possui algo mais atemporal do que o Bingo. Mas, seguramente, qualquer brasileiro vai se sentir criança assistindo ao filme, porque eu me senti fazendo.

Do mesmo modo, o diretor falou rapidamente sobre a nova edição de A Árvore da Vida, de Terrence Melick, que será lançada pela Criterion Collection. Rezende editou a versão do filme exibida nos cinemas, mas disse que não participou do novo processo de montagem:

“Não, aliás fiquei sabendo isso por você aqui agora. Eu assisti um corte de oito horas do filme, então, seguramente, o que você vai ver vai ser um redux” completou ele.

Durante o tapete vermelho, Dira Paes (indicada por Redemoinho) falou um pouco sobre Fernanda Montenegro, a homenageada da noite, lembrando sobre a referência que ela é para todas as atrizes:

“É uma atriz que não para de produzir. Estou, inclusive, muito curiosa para assistir os próximos filmes da Dona Fernanda. Eu vou tá (sic) na platéia aplaudindo e bebendo um pouco nessa fonte maravilhosa que é essa atriz.”

Na cerimônia em si, a abertura contou – inicialmente – com um relato do atual presidente da ABC (Academia Brasileira de Cinema), Jorge Peregrino, relatando os diversos problemas financeiros para a realização do prêmio, além de um objetivo maior em fazer com que o evento aconteça mais cedo no próximo ano. Peregrino ainda comentou que, em 2019, algumas novas categorias serão incluídas, dentre elas: série de TV paga, série de TV aberta e melhor filme ibero-americano.

Cacá Diegues, Zelito Viana, Luiz Carlos Barreto e Fernanda Montenegro. Foto: Divulgação

Na recepção dos troféus, um discurso político muito forte esteve no ambiente, com grande parte dos premiados falando a frase “Ele Não”, famosa nos últimos tempos como uma manifestação contrária ao candidato a presidência Jair Bolsonaro. Ainda nesse caráter politizado, também houveram lembranças à grande participação feminina – incluindo algumas vitórias, como a de melhor direção, com Laís Bodanzky – dentre as indicações e da comunidade LGBT, principalmente pelo longa A Glória e a Graça.

O momento mais especial na Cidade das Artes ficou por conta de Fernanda Montenegro, que subiu ao palco para receber sua homenagem especial da Academia. Quem começou a apresentação foi Vinícius de Oliveira, famoso por contracenar com a artista em Central do Brasil, lendo um poema de Bráulio Bessa. Já muito emocionada com a situação, Montenegro ainda recebeu o seu troféu pelas mãos dos diretores Cacá Diegues, Zelito Viana e Luiz Carlos Barreto.

Durante seu discurso, com a voz extremamente embargada, a atriz destacou que os cineastas com quem trabalhou foram extremamente importantes para ela chegar até ali:

“A gente é matéria prima, são os diretores que nos dão vida. Eles que nos transformam em quem nós somos.”, disse lendo uma lista de todos os diretores com quem trabalhou.

Elenco e produção de Bingo – O Rei das Manhãs, grande vencedor da noite. Foto: Anderson Borde/AgNews

Veja todos os vencedores:

  • Longa-metragem de Ficção: “Bingo – O rei das manhãs”
  • Longa-metragem Documentário: “Divinas divas”
  • Longa-metragem Comédia: “Divórcio”
  • Longa-metragem Animação: “Historietas assombradas – O filme”
  • Longa-metragem Infantil: “Detetives do Prédio Azul”
  • Direção: Laís Bodanzky (“Como nossos pais”)
  • Atriz: Maria Ribeiro (“Como nossos pais”)
  • Ator: Vladimir Brichta (“Bingo – O rei das manhãs”)
  • Atriz Coadjuvante: Sandra Corveloni (“A Glória e a Graça”)
  • Ator Coadjuvante: Augusto Madeira (“Bingo – O Rei das manhãs”)
  • Direção de Fotografia: Lula Carvalho (“Bingo – O Rei das manhãs”)
  • Roteiro Original: Mikael de Albuquerque e Lusa Silvestre (“A Glória e a Graça”)
  • Roteiro Adaptado: Mikael de Albuquerque (“Real – O plano por trás da História”)
  • Direção de Arte: Cássio Amarante (“Bingo – O Rei das manhãs”)
  • Figurino: Verônica Julian (“Bingo – O Rei das manhãs”)
  • Maquiagem: Anna Van Steen (“Bingo – O Rei das manhãs”)
  • Efeitos Visuais: Ricardo Bardal (“Malasartes e o duelo com a morte”)
  • Montagem Ficção: Márcio Hashimoto (“Bingo – O Rei das manhãs”)
  • Montagem Documentário: Natara Ney (“Divinas divas”)
  • Som: George Saldanha, François Wolf e Armando Torres Jr (“João, o maestro”)
  • Trilha Sonora Original: Plínio Profeta (“O filme da minha vida”)
  • Trilha Sonora: Mauro Lima, Fael Mondego e Fábio Mondego (“João, o maestro”)
  • Longa-metragem Estrangeiro: “Uma mulher fantástica”
  • Curta-metragem de Animação: “Vênus-filó, a fadinha lésbica”
  • Curta-metragem Documentário: “Ocupação do Hotel Cambridge”
  • Melhor Curta-metragem Ficção: “A passagem do cometa”
  • Voto Popular – Longa Brasileiro: “Bingo – O Rei das manhãs”
  • Voto Popular – Longa Estrangeiro: “La La Land: cantando estações”
  • Voto Popular – Longa Documentário: “Cora Coralina”

Comentários

Cláudio Gabriel

É apaixonado por cinema, séries, música, quadrinhos e qualquer elemento da cultura pop que o faça feliz. Seu maior sonho é ver o Senta Aí sendo reconhecido... e acha que isso está mais próximo do que se espera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *