Conhecendo o line-up do Rock in Rio – 04/10

Chegamos a data mais celebrada do festival, o famoso “dia do metal”. Aqui, teremos uma interessante variação e muitos shows de nomes clássicos nacional e internacionalmente. Desde talvez a maior abnda de metal do país (Sepultura), até uma das maiores bandas de metal de todas (Iron Maiden), passando pelo hard rock (Scorpions) e o espaço do power metal (Helloween). Para os fãs de música mais pesadas, guitarras sem medo e as baterias explodindo, esse é o grande momento.

– Scorpions 

O Scorpions vive em vias de parar a alguns anos. Já até fizeram uma turnê de encerramento da carreira, inclusive passando pelo Brasil no ano de 2010. Bom, isso não rolou e no ano seguinte estavam eles fazendo um novo trabalho – no caso, Comeblack, de 2011.

É interessante perceber como a banda, surgida nos anos de 1970 ainda, vem reconquistando um espaço. Já estiveram no topo da indústria fonográfica com grandes hits, e agora tem retornado a um topo mais em um sentido nostálgico. As turnês internacionais mostram como eles não parecem querer parar. Não a toa, o Iron Maiden seria o headliner do Palco Mundo nesse dia, porém pediu para esse grupo fechar.

O último trabalho da banda foi Return To Foverer, de 2016, na qual não teve muito enfoque pela mídia e nem pelos fãs. Por isso, o que realmente deve se esperar dessa apresentação são os grandes clássicos e coro por parte do público. Além do fato deles prometerem trazer participações especiais. Voltando ao Rock in Rio 34 anos depois, não se pode esperar mais do que um brilhante show.

Quais não podem deixar de tocar? “Wind of Change”, “Still Loving You” e “Rock You Like a Hurricane”

– Iron Maiden

Iron Maiden é uma carta marcada no Brasil já tem alguns anos. Sempre que lançam um trabalho novo fazem questão de passar pelo país, trazendo grandes hits e sempre grandes multidões. Por isso, nessa quarta participação do grupo no Rock in Rio, é possível esperar mais do mesmo. Todavia, aquele mais do mesmo poderoso, na qual só eles conseguem fazer.

O mais recente lançamento foi The Book of Souls, de 2015, além de uma versão ao vivo desse disco, de 2017. Não faz muito tempo, porém não é uma novidade. Por isso parece que estaremos diante de Bruce, Steve e companhia focando nos grandes clássicos. Afinal, ao fazer uma performance em um festival é necessário também saber dosar a novidade e os grandes sucessos. A turnê que eles estão no momento – Legacy Of The Beast World Tour – mostra bem isso.

Quais não podem deixar de tocar? “2 Minutes to Midnight”, “Fear of the Dark” e “Run to the Hills”

– Helloween

Passando pela última vez no país em 2017, o Helloween não lançou nada desde então. A turnê daquele período era em celebração do álbum mais clássico deles, o Keeper of The Seven Keys, de 1987. No momento nenhum aniversário é comemorado, mas quem sabe não aconteça uma espécie de reprise dessa apresentação de dois anos atrás.

Bom, nesse sentido, a setlist deve ser bem padronizada, com os maiores hits para satisfação geral. Nesse sentido, pode ser também uma lembrança da aparição deles plea única vez no Rock in Rio, em 2013, quando impressionaram com um dos shows mais elogiados do evento naquele ano. Se depender dos setlists recentes – inclusive em outros aqui no Brasil -, o trabalho mais clássico deles deverá continuar como carro chefe.

Quais não podem deixar de tocar? “Eagle Fly Free”, “I Want Out” e “If I Could Fly”

– Sepultura

De todas as bandas dentro do palco principal nesse dia, os brasileiros são os mais ativos em termos de novos lançamentos. Isso porque a cada novo CD feito, ele é amplamente divulgado em turnês internacionais, inclusive com grande destaque fora do nosso país. Assim, o mais recente trabalho deles foi Machine Messiah, de 2017, com uma repercussão super positiva pela crítica e fãs.

Nesse contexto, o Sepultura surge como uma grande paixão nacional. Apesar da abertura do Palco Mundo ás vezes não ter um grande público ou ser tão chamativa, isso não deverá ser dito desse dia. É provável, inclusive, que se tenha uma divisão bem grande, visto que o fim do Palco Sunset se dará com Anthrax e Slayer. De qualquer forma, é bem difícil que esse gostinho nacional no mundo decepcione de alguma forma.

Quais não podem deixar de tocar? “Roots Bloody Roots”, “Refuse/Resist” e “Territory”

Comentários

Cláudio Gabriel

É apaixonado por cinema, séries, música, quadrinhos e qualquer elemento da cultura pop que o faça feliz. Seu maior sonho é ver o Senta Aí sendo reconhecido... e acha que isso está mais próximo do que se espera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *