Dia da Mulher: 8 filmes dirigidos por mulheres para assistir na Netflix

Dia 8 de março é comemorado o Dia internacional da Mulher e, para enaltecer esse importante dia, separamos cinco filmes dirigidos por mulheres de diferentes gêneros para você assistir na Netflix:

– A Livraria

Baseado no livro de mesmo nome da escritora Penelope Fitzgerald, a trama se passa no final da década de 50 e acompanha uma mulher (Emily Mortimer) recém-chegada em uma pacata cidade do litoral da Inglaterra que decide abrir uma livraria. Contudo, sua iniciativa é vista com maus olhos pela conservadora comunidade local que passa a se opor tanto a ela quanto ao seu negócio, obrigando-a lutar por seu estabelecimento. Dirigido pela famosa cineasta espanholaIsabel Coixet, o filme ganhou três prêmios Goya, incluindo Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor roteiro adaptado. O elenco ainda é composto por nomes renomados como Patricia Clarkson e Bill Nighy.

– Já Estou Com Saudades

Jess (Drew Barrymore) e Milly (Toni Collette) são melhores amigas desde a infância. Enquanto Milly se casou, teve dois filhos e construiu uma carreira de sucesso, Jess decidiu levar uma vida pacata ao lado do marido Jago (Paddy Considine). Após se submeter a um tratamento, essa segunda enfim consegue engravidar. Mas a notícia vem justamente quando Milly descobre ter câncer de mama e precisa passar por quimioterapia, o que necessitará do apoio não apenas da amiga, mas de toda a família. Um filme emocionante dirigido por Catherine Hardwicke (Crepúsculo e a Garota da Capa Vernelha) que retrata um assunto do universo feminino pouco discutido que é o quanto o câncer de mama afeta a autoestima da mulher.

– As Patricinhas de Beverly Hills

O famoso clássico teen que faz uma releitura da obra Emma, de Jane Austen. Alicia Silverstone é Cher, uma menina de boa índole, mas superficial, que é atraente, popular e extremamente rica. Poucos meses antes do seu décimo sexto aniversário, ela subiu para o topo da cena social do ensino médio. Ela vive em uma mansão em Beverly Hills com seu pai, que trabalha com processos judiciais. Mas a chegada do enteado de seu pai, Josh (Paul Rudd), muda tudo, primeiro por ele criticá-la de não tomar conhecimento com o “mundo real” e, em segundo lugar, por ela descobrir que está apaixonada por ele. O filme é dirigido e roteirizado por Amy Heckerling (Nunca É Tarde Para Amar e Gossip Girl).

– Selma: Uma Luta Pela Igualdade

Cinebiografia do pastor protestante e ativista social Martin Luther King, Jr (David Oyelowo), que acompanha as históricas marchas realizadas por ele e manifestantes pacifistas em 1965, entre a cidade de Selma, no interior do Alabama, até a capital do estado, Montgomery, em busca de direitos eleitorais iguais para a comunidade afro-americana. O filme recebeu quatro indicações ao Globo de Ouro e duas indicações ao Oscar e a cineasta Ava DuVernay foi a primeira diretora negra a ter seu filme nomeado para o Oscar de Melhor Filme.

– A Ganha-Pão

Parvana (Saara Chaudry) é uma jovem que vive em um Afeganistão governado pelas forças do Talibã. Quando seu pai é preso de maneira injusta, ela precisa se disfarçar como um menino para trabalhar e garantir o sustento de sua família. Dirigido e escrito por Nora Twomey, não podia deixar de se incluir uma animação nessa lista. O longa foi indicado a diversos prêmios, incluindo ao Oscar de Melhor Animação em 2018.

– Dumplin’

Baseado no livro de mesmo nome da escritora Julie Murphy, Willowdean Dickson (Danielle Macdonald), é uma jovem acima do peso e bastante confiante com o próprio corpo, apesar de não ter o respeito de sua mãe, uma ex-miss (Jennifer Aniston). Quando, então, se apaixona pelo atleta Bo (Luke Benward) e começa a ter inseguranças, Will decide entrar num concurso de beleza como forma de protesto. Dirigido por Anne Fletcher (A Proposta), o filme adapta muito bem a obra, transmitindo uma bela mensagem sobre amor próprio e faz uma dura crítica aos esteriótipos de beleza.

Resultado de imagem para dumplin

– Grave

Justine (Garance Marillier) é uma jovem tímida e vegetariana, caloura na mesma faculdade de veterinária em que estuda sua irmã, Alexia (Ella Rumpf). Durante o trote, a menina é forçada a comer carne animal pela primeira vez e a ação provoca mudanças extremas em sua vida.  Comandado pela francesa Julia Ducournau, a obra é um filme de terror um tanto perturbador e que discute bastante sobre relações entre mulheres.

– Eu Não Sou Um Homem Fácil

Uma comédia romântica francesa original da Netflix de 2018, dirigida por Éléonore Pourriat. A história gira em torno de Damien (Vincent Elbaz), que um dia acorda em um mundo onde as mulheres e os homens inverteram os seus papéis de gênero na sociedade. O mundo mudou, agora são as mulheres que têm poder sobre os homens. É importante lembrar que o longa não é totalmente original, visto que a diretora Alice Guy Blaché realizou um curta de mesma temática em 1906.

Comentários

Ana Barbosa

Estudante de Jornalismo, feminista e enaltecedora de mulheres na arte. Viciada em séries, principalmente em Doctor Who, compra mais livros do que consegue ler e não recusa um café. A típica canceriana que chora em todos os filmes que assiste, ou pelo menos quase todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *