Os melhores filmes de 2018

A lista de filmes do ano é sempre uma das mais complicadas e a que a grande maioria das pessoas gostam de falar um pouco sobre. Em um ano pautado fortemente em dois filmes gigantescos de heróis (Vingadores: Guerra Infinita e Pantera Negra), nossas escolhas acabaram sendo um tanto quanto inusitadas.

Bom, apenas para relatar, não houve tanto uma regra formal aqui. Poderiam ter sido longas de festivais/estreados em circuito comercial/que não chegariam no Brasil comercialmente. Vamos lá:

10º – Missão Impossível: Efeito Fallout

É simplesmente impossível não marcar 2018 com esse mais novo capítula da melhor franquia de ação do cinema da atualidade. Em Efeito Fallout, tudo é jogado para o alto e chega em uma escala magnânima, a ponto de arrepiar a espinha de tensão para qualquer um. Christopher McQuarrie e Tom Cruise se entenderam de forma perfeita, realizando uma das grandes obras de ação da década. Merece ser relembrada bastante.

Para ler mais sobre, clique aqui.

9º – Um Lugar Silencioso

Um Lugar Silencioso chegou de fininho e marcou presença em 2018. Estreia de John Krasinski na direção, o longa sobre uma família que deve viver em completo silêncio para escapar de monstros que caçam pelo som se tornou um dos maiores sucessos financeiros do ano, além de trazer a inesperada e eficaz união entre cinema sensorial, drama família e conto de horror. Além disso, traz uma das cenas mais tensas e perturbadoras do ano. Melhor trabalho de estreia para Krasinski, impossível.

Para ler mais sobre, clique aqui.

8º – Nasce Uma Estrela

Quando Bradley Cooper anunciou que comandaria mais um refilmagem da já clássica historia de Nasce uma Estrela, muita gente ficou com o pé atrás. Com uma das maiores estrelas da música no papel principal, tanto Lady Gaga quanto Cooper surpreenderam e entregaram possivelmente o filme mais popular do ano, com canções com potencial para se tornarem clássicos, atuações poderosas e uma nova roupagem em uma história que apesar de já conhecida, acaba sendo atemporal.

Para ler mais sobre, clique aqui.

7º – Trama Fantasma

Transitando entre drama romântico de época e filme de horror masoquista, Trama Fantasma é mais um estudo sobre o acúmulo de poder de Paul Thomas Anderson, dessa vez de forma mais sutil, mas talvez mais sufocante, mesmo que trabalhe sob a ótica da paciência, como em um jogo de xadrez, em que as peças estão sempre trocando de posição, mas cuja finalidade dos jogadores é atingir o poder da conquista.

6º – First Reformed

First Reformed é um caso raro de filme no qual existem vários caminhos possíveis para se escrever uma resenha a respeito. Em seu escopo, o longa cresce até quase literalmente explodir, numa catarse emocional cujo fim apenas reforça uma pergunta feita durante boa parte de sua duração: “Deus nos perdoará?”, como diz a música do Wilco, Theologians, “onde eu vou você não poder ir”. O beijo utópico e o prazer carnal, a paixão desenfreada, no fim, era um ato de liberdade, mas um mundo tão feio não seria capaz de gerar algo tão bonito, não é mesmo?

5º – Infiltrado na Klan

Spike Lee retornou de forma apoteótica ao estrelado em Hollywood com um dos trabalhos mais importantes no audiovisual em 2018. Ao realizar uma história quase irônica, Lee fala sobre racismo de maneira extremamente aprofundada, trazendo definitivamente algo novo em sua filmografia. Se será lembrado no Oscar, só o futuro dirá, porém, definitivamente, Infiltrado na Klan é uma das obras mais importantes do ano.

Para ler mais sobre, clique aqui.

4º – Hereditário

Antes mesmo de seu lançamento, a performance de Toni Colette e o tom sombrio de Hereditário já chamavam a atenção do público. Após a estreia do filme, só houve confirmações. Novamente trazendo uma família para o centro de uma historia genuína de terror, o longa de estreia de Ari Aster não é só uma apavorante e impactante história sobre família e luto, mas também um dos melhores filmes de gênero da década.

3º – Ponto Cego

Essa pode ser uma surpresa para muitos que nem ouviram falar sobre Ponto Cego, na qual chegou de forma bem tímida aos cinemas nesse ano. Todavia, é importantíssimo não se esquecer com facilidade do longa que, novamente, trata sobre o racismo, mas de uma maneira ainda mais enraizada. Fala sobre algo estrutural e sobre como até relações de amizade podem facilitar nesses problemas. Muitos mais que um drama, é sobre comédia e música, mas de uma forma totalmente diferente.

2º – Roma

É, definitivamente, um dos filmes mais belos desse ano. Singelo, calmo e altamente político, Roma fala muito mais do que simplesmente a história de uma pessoa. É sobre como a vida está a nossa volta e como, em muitas ocasiões, nem percebemos essa existindo. Há um incrível número de cenas marcantes e memoráveis não apenas para cada um, mas para o cinema em si. Até porque Roma também é sobre cinema. E como o cinema é sobre a gente.

Para ler mais sobre, clique aqui.

1º – Em Chamas

Mais uma surpresa da lista, Em Chamas é um filme absurdo e até meio apocalíptico. Ao buscar uma história comum, o longa vai muito além e fala sobre relacionamentos, sentidos da vida e muito mais. Definitivamente, não se pode deixar de lado o cinema coreano em um período que lá do ocidente cada vez mais produções diferenciadas tem surgido. Se precisava existir algum selo para coroar tudo isso, esse longa talvez seja a maior representação dessa completitude. É para marcar na história.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *