Primeiras Impressões: The Act

Seja pelo artigo do BuzzFeed, por um thread criminal do Twitter, ou até mesmo pelo documentário da HBO “Mamãe Querida e Morta”, é provável que você já tenha ouvido falar da história real de Gypsy Rose Blanchard e do assassinato de sua mãe, Dee Dee Blanchard. Porém, se você não é familiarizado com o caso, assistir ao novo seriado The Act, nova produção criminal antológica da Hulu, pode ser uma grande surpresa.

A série se inicia com uma das vizinhas da família Blanchard fazendo uma ligação para a polícia, que ao chegar na residência de Dee Dee (Patricia Arquette) e Gypsy (Joey King) a encontra com um ar abandonado e descuidado. Os dois detetives investigam o lugar, enquanto os vizinhos estão parados do lado de fora aguardando notícias, e encontram Dee Dee esfaqueada em cima da cama. Mas afinal quem poderia ter feito mal à essa doce mãe que dedicou sua vida para proteger e cuidar da filha doente?

O seriado então volta sete anos antes e vemos tudo pelo ponto de vista de Gypsy: o momento em que ela e a mãe chegam em sua nova residência, que foi construída especialmente para as duas após terem perdido tudo no Furacão Katrina. Gypsy é apresentada para o público e para os vizinhos como uma adolescente de idade mental de sete anos. Com uma doença terminal, paraplégica e capaz de alimentar apenas através de um tubo, sua mãe alega que a jovem tem múltiplas doenças. As duas possuem um amor incondicional, Dee Dee é a heroína para as pessoas a sua volta, uma santa que abdicou sua vida a filha, que dá tudo do bom e do melhor, principalmente se estiver sob holofotes.

Ao assistir os dois primeiros episódios disponíveis, já podemos perceber a problemática por trás da história. Por baixo do pano, a vida de Dee Dee e Gypsy não é esse vínculo amoroso e saudável que elas demonstram. Aos poucos, o mistério vai sendo revelado e vamos percebendo que Gypsy pode não ser tão doente quanto aparenta. A jovem vai notando certas atitudes da mãe que não parecem certas e muitas falácias em seus discursos, ela alega que Gypsy tem alergia a açúcar e que não é capaz de engolir nenhum alimento sólido é algumas de suas inúmeras mentiras. O mais lastimável da situação até então é que a garota parece ter ciência da condição que se encontra, mas não confronta sua progenitora porque ela sente que Dee Dee precisa disso, ela precisa da filha assim e a mesma está conformada, acreditando até mesmo nos sintomas que são empurrados para ela ainda que não sinta nada.

Tendo em vista que a duração é em torno dos cinquenta minutos e que a temporada contará com oito episódios, eles terão que funcionar muito bem para não resultar em algo arrastado. Os capítulos tem alguns momentos lentos, mas ele flui muito bem, oscilando em poucos flashbacks no começo e ao final para instigar a curiosidade do espectador. Mas a melhor parte de todo o seriado é a atuação magnífica das protagonistas, algo que podemos esperar de Patricia Arquette, vencedora do Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por Boyhood e ganhadora do Globo de Ouro de Melhor Atriz em Minissérie ou Telefilme por Escape at Dannemora, e tudo indica que receberá indicação ao Emmy 2019 por esse trabalho, mas será que podemos esperar uma indicação dupla por The Act, já que a série estreou dentro do prazo? O que surpreendeu mesmo foi Joey King, até agora só tinha se destacado em A Barraca do Beijo, filme original Netflix que foi bastante comentado, a atriz está brilhante e se entregou totalmente ao papel que não é nada fácil de ser feito.

Na hipótese de não conhecer esse evento, adianto que saber dele não irá estragar a experiência que a série proporciona, o caso em si é extremamente interessante e surreal, parece que foi escrito por uma uma mente criativa como a de Gillian Flynn. Apesar de detalhes serem sempre adicionados, se você não souber de nada da trama, mantenha assim para o choque ser maior. Um dos problemas é que o streaming não entrega todos os episódios de uma vez, para quem é fã de um bom suspense e casos criminais vai ser difícil não se viciar nesse enredo.

A série foi criada pela jornalista Michelle Dean (autora do artigo do Buzz Feed “Dee Dee Wanted Her Daughter To Be Sick, Gypsy Wanted Her Mom To Be Murdered.”) e por Nick Antosca (Hannibal, Channel Zero). The Act é transmitida pela Hulu nos EUA, por enquanto o servição não está disponível em outros países e ainda não há uma previsão de estreia no Brasil.

Comentários

Ana Barbosa

Estudante de Jornalismo, feminista e enaltecedora de mulheres na arte. Viciada em séries, principalmente em Doctor Who, compra mais livros do que consegue ler e não recusa um café. A típica canceriana que chora em todos os filmes que assiste, ou pelo menos quase todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *