Quem vai ganhar no Oscar 2019? (Parte 2)

Veja a primeira parte aqui.

– Melhor documentário

Indicados: Hale Country this Morning, the Evening, Of Fathers and Sons, RBG, Minding the Gap e Free Solo.

Quem deve levar? RBG.

Quem corre por fora? Minding the Gap.

O grande possível favorito dessa categoria seria Won’t You Be My Neighbor?, filme que contava com imensa aclamação da crítica, além de retratar a história de uma figura relevante aos Estados Unidos. O problema é que esqueceram de combinar com os votantes, fato essencial para abrir a disputa dentre aqueles realmente indicados ao prêmio.

Minding the Gap e Free Solo parecem juntos correndo por fora, apesar de estarem alguns passos atrás. O primeiro ainda tem uma certa vantagem pela força de sua narrativa, falando sobre o crescimento e juventude, temas que o Oscar gosta. Todavia, RBG aparentemente está na frente, pelo motivo simples de possuir uma relação política relevante no contesto americano.

– Melhor filme estrangeiro

Indicados: Roma, Guerra Fria, Cafarnaum, Assunto de Família e Nunca Deixe de Lembrar.

Quem deve levar? Roma.

Quem corre por fora? Guerra Fria.

Uma das mais fáceis de serem acertadas com um absoluto destaque de Roma, que levou 10 indicações. Não apenas aqui, mas também em Melhor Filme (aonde falaremos adiante), é um dos francos favoritos para a vitória. Se alguém pode tirar esse troféu de Cuarón é Guerra Fria, que impressionou todo mundo abocanhando também uma indicação a Melhor Direção. Ainda assim, o prêmio parece estar bem encaminhado.

– Melhor animação

Indicados: WiFi Ralph, Os Incríveis 2, Mirai, Ilha dos Cachorros e Homem-Aranha no Aranhaverso.

Quem deve levar? Homem-Aranha no Aranhaverso.

Quem corre por fora? Ilha dos Cachorros.

Homem-Aranha no Aranhaverso desponta como favoritíssimo desde o início de toda a campanha, não apenas pelo inovação de suas técnicas, mas também por toda a representatividade que a obra traz. Se alguém pode desbancar é Ilha dos Cachorros, porém as chances que a obra de Wes Anderson se destaque são bem poucas.

– Melhor roteiro adaptado

Indicados: Se a Rua Beale Falasse, Nasce uma Estrela, Poderia me Perdoar?, Infiltrado na Klan e A Balada de Buster Scruggs.

Quem deve levar? Infiltrado na Klan.

Quem corre por fora? Poderia me Perdoar?.

Mesmo com a vitória no Sindicato dos Roteiristas, Poderia me Perdoar? parece não possuir potência suficiente para conquistar o grande prêmio nesse domingo. É um longa que até conseguiu um certo espaço, porém não possui um histórico ao longo dos últimos tempos para ser levado como preferido.

Dentro disso, Infiltrado na Klan parece ser o destino mais claro a esse prêmio, já que a obra não tem totais chances em outras categorias. Essa também pode ser uma certa conquista de consolação da noite para Spike Lee, na qual parecia bastante forte desde seu lançamento e foi perdendo um espaço bem grande na corrida.

– Melhor roteiro original

Indicados: Green Book – O Guia, No Coração das Trevas, A Favorita, Vice e Roma.

Quem deve levar? A Favorita.

Quem corre por fora? Fé Corrompida (First Reformed).

Outro exemplo de um possível longa com um prêmio de consolação na noite, A Favorita sai com um pequeno favoritismo em uma categoria extremamente disputada e complexa. Todos possuem possibilidades – e reais – de conquistar uma felicidade. Talvez apenas Vice esteja um pouco mais atrás dentro da disputa.

Com sua única indicação, First Reformed pode participar de uma boa competição, devido a, principalmente, ser a primeira indicação do roteirista Paul Schrader, escritor de Taxi Driver e Touro Indomável. Mesmo sem Scorsese estar ali no meio em 2019, sua persona pode estar presente com uma vitória de Schrader como um roteiro original.

– Melhor atriz coadjuvante

Indicados: Marina de Tavira (Roma), Amy Adams (Vice), Emma Stone (A Favorita), Rachel Weisz (A Favorita) e Regina King (Se a Rua Beale Falasse).

Quem deve levar? Regina King (Se a Rua Beale Falasse).

Quem corre por fora? Rachel Weisz (A Favorita).

Mesmo as votações podendo se anular um pouco, é fato que Rachel Weisz e Emma Stone estão bastante fortes aqui, com um levantamento maior para a primeira. O motivo? Grande parte do amor da Academia em A Favorita se deu pelas atuações fortíssimas. Esse fato pode ser praticamente um diferenciador.

Apesar disso tudo, Regina King está fortíssima dentro da briga, principalmente devido ao fato de possuir uma cena fortíssima em Se a Rua Beale Falasse, além de ser uma valorização da atriz em ascensão.

– Melhor ator coadjuvante

Indicados: Mahershala Ali (Green Book – O Guia), Adam Driver (Infiltrado na Klan), Sam Rockwell (Vice), Sam Elliott (Nasce uma Estrela) e Richard E. Grant (Poderia me Perdoar?).

Quem deve levar? Mahershala Ali (Green Book – O Guia).

Quem corre por fora? Absolutamente ninguém.

A categoria mais fácil de todas. Mahershala Ali, que já ganhou por Moonlight em 2016, é o franco e único favorito dentro da competição pelo homem dourado.

– Melhor atriz

Indicados: Lady Gaga (Nasce uma Estrela), Melissa McCarthy (Poderia me Perdoar?), Glenn Close (A Esposa), Olivia Colman (A Favorita) e Yalitza Aparicio (Roma).

Quem deve levar? Glenn Close (A Esposa).

Quem corre por fora? Olivia Colman (A Favorita).

No início da corrida de prêmios do cinema, Lady Gaga era apontada como a grande favorita a ser desbancada, não apenas por seu estrondoso nome fora das telas, porém também pelo encantamento gerado em Nasce uma Estrela. O tempo passou e quem assumiu o status de grande competidora foi Glenn Close, colocando quase as duas mãos no troféu para o próximo domingo.

A única pedra no seu sapato ainda pode ser Olivia Colman. Essa que tem sido muito falada recentemente por diversos veículos de comunicação americanos, podendo conseguir uma inesperada conquista. Não é a provável vencedora, mas está ganhando seu nome em Hollywood.

– Melhor ator

Indicados: Rami Malek (Bohemian Rhapsody), Bradley Cooper (Nasce uma Estrela), Willem Dafoe (No Portal da Eternidade), Viggo Mortensen (Green Book – O Guia) e Christian Bale (Vice).

Quem deve levar? Rami Malek (Bohemian Rhapsody).

Quem corre por fora? Christian Bale (Vice).

Vencedor dos mais diversos prêmios nos mais diversos sindicatos e premiações, Rami Malek parece ser o amplo nome a encabeçar dentro da lista de Melhor Ator. O nome de Freddie Mercury traz, obviamente, uma carga ainda maior de expectativa, fazendo de Malek uma possibilidade bem real.

Se alguém ainda pode tirar esse troféu dele é Christian Bale, em mais uma performance pautada pela mudança física (aqui ele ganhou bastante peso para o papel), algo adorado sempre pela Academia. Bale, inclusive, já foi indicado e ganhou o Oscar pelo mesmo tipo de atuação. Dessa vez, em Vice, ele ainda faz uma figura famosa da política estadunidense, fato que poderá acarretar em uma vitória.

– Melhor direção

Indicados: Spike Lee (Infiltrado na Klan), Adam McKay (Vice), Yorgos Lanthimos (A Favorita), Pawel Pawlikowski (Guerra Fria) e Alfonso Cuarón (Roma).

Quem deve levar? Alfonso Cuarón (Roma).

Quem corre por fora? Spike Lee (Infiltrado na Klan).

Alfonso Cuarón parece ter dominado toda a corrida nessa categoria, sendo o grande representante mexicano em mais um ano para, possivelmente, ganhar o troféu. Seria a quarta vitória do México em Melhor Direção nos últimos 5 anos. Além disso, Roma, por ser uma obra bastante pessoal do cineasta, gera um destaque ainda maior pela sua visão dentro desse trabalho.

Todas as outras indicações possuem pouquíssima força e a única que parece competir – mesmo bem de longe – com Cuarón é a de Spike Lee, diretor extremamente reconhecido em Hollywood, mesmo nunca tendo sido indicado para esse prêmio. Quem sabe a noite não abre espaço para uma grande reviravolta?

– Melhor filme

Indicados: A Favorita, Vice, Roma, Pantera Negra, Green Book – O Guia, Infiltrado na Klan, Nasce uma Estrela e Bohemian Rhapsody.

Quem deve levar? Roma.

Quem corre por fora? Infiltrado na Klan e Green Book – O Guia.

Bom, chegamos a grande categoria da noite, o prêmio mais amado e cobiçado por todos dentro da indústria. 2019 se mostrou um ano bastante atípico dentro dos indicados, algo que pode já se mostrar um reflexo da aglomeração de novos membros diversos para dentro da Academia. Dessa forma, temos uma disputa entre diversos grandes de bilheteria e a primeira indicação para um filme da Netflix e um de heróis. Apesar disso tudo, ainda se poderia crer em uma vitória certeira dos velhos estilos que geralmente conquistam o prêmio máximo. Não é o caso aqui.

Roma desponta como o grande favorito há tempos, estando em primeiro nas mais diversas associações de críticos ainda no fim do último ano, sendo a força gigantesca para a conquista. Ainda seria uma demonstração clara da internacionalização do prêmio, com a primeira conquista de um longa não falado em inglês e de um canal de streaming. Demonstraria, sem sombra de dúvidas, uma revolução.

Os únicos que parecem disputar de maneira mais incisiva são Infitrado na Klan, devido à questão racial bem intrínseca ao filme e a todo o peso em cima do nome de Spike Lee. Não é uma vitória totalmente impossível. Green Book – O Guia chega bem pautado pela vitória no Sindicato dos Produtores, na qual possui o maior número de votantes dentro do Oscar. Sua temática, a trama leve e a relação com o cinema clássico pode acabar chamando bastante atenção. Todavia, as recentes acusação perante a produção traze um certo desagrado que podem significar uma grande derrota.

Quem sabe o que pode acontecer, não é mesmo? Domingo será o dia definidor disso tudo!

Comentários

Cláudio Gabriel

É apaixonado por cinema, séries, música, quadrinhos e qualquer elemento da cultura pop que o faça feliz. Seu maior sonho é ver o Senta Aí sendo reconhecido... e acha que isso está mais próximo do que se espera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *